Cabo Verde – Vem aí os “social bonds”

“Estamos a fazer história!” disse o presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVCV), Miguel Monteiro, na primeira emissão de obrigações sociais

“Estamos a fazer história!”. Foi assim que o presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVCV), Miguel Monteiro, enalteceu a primeira emissão de obrigações sociais da instituição, as denominadas ‘Social Bonds’.

A entidade emitente vai ser a Morabi, uma cooperativa de poupança e crédito, e a operação deverá ficar concluída este mês de junho, e cada obrigação vai ter um custo unitário de mil escudos cabo-verdianos.

Ainda não se sabe qual vai ser o valor da primeira emissão de títulos sociais em Cabo Verde, mas Miguel Monteiro não escondeu a sua satisfação pela operação acontecer numa altura em que a instituição que dirige comemora 23 anos de existência.

“Estamos cientes de que os desafios económico-sociais que temos pela frente, derivados, essencialmente, dos efeitos da pandemia, são enormes (…) Hoje vemos que temos soluções concretas para os problemas sociais, promovendo desta forma o ecossistema da economia azul”, salientou o presidente da bolsa.

“Cabo Verde tem um grande potencial para o desenvolvimento do mercado das ‘social bonds”, notou Miguel Monteiro. “Aliás, um grande potencial para o mercado de títulos sustentáveis”, completou.

“Estamos em processo bastante avançado na criação de mercados para ‘green bonds’, ‘blue bonds’ entre outros instrumentos que visem o financiamento do desenvolvimento sustentável de Cabo Verde”, ainda segundo Monteiro, na sua intervenção no encerramento de um webinar sobre os 23 anos da Bolsa de Valores de Cabo Verde.

Relativamente ao processo em curso para a Morabi entrar no mercado de obrigações sociais, o dirigente entendeu que é apenas um exemplo da forma como se pode materializar com eficácia o propósito de sustentabilidade.

Segundo o presidente, o bolsa quer elevar o mercado de capitais a um patamar de desenvolvimento sustentável, atrativo e acessível aos agentes económicos. “Enganem-se aqueles que pensam que a Bolsa de Valores é só para grandes empresas ou instituições, e ou aqueles que duvidam do casamento entre o sistema financeiro e as causas sociais”.

A Morabi – cooperativa de poupança e crédito é uma instituição privada de caris social criada em 21 de dezembro de 2018, em resultado da separação das atividades de microfinanças e sociais que, até então, vinham sendo desempenhadas pela Morabi – Associação Cabo-verdiana de Autopromoção da Mulher.

Ler o proxímo artigo aqui

Ricardino Pedro

(continua)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome