Nigéria já perdeu 15 milhões por encerramento do Twitter

Tal como Mercados Africanos tinha noticiado o presidente nigeriano suspendeu a plataforma social Twitter a 4 de junho 2021, por tempo indeterminado

Tal como Mercados Africanos tinha noticiado o presidente nigeriano suspendeu a plataforma social Twitter na sexta-feira, 4 de junho 2021, por tempo indeterminado.

Recorde-se que a decisão, justificada segundo a presidência da Nigéria por “atividades da rede social que podem minar a existência do país enquanto que federação”, foi tomada depois do Twitter ter retirado no mesmo dia uma postagem de Muhammadu Buhari publicada nesta quinta-feira, dia 3 de junho 2021, e na qual ele ameaçava os separatistas do sudeste do país.

“Muitos daqueles que se comportam mal hoje são muito jovens para estarem cientes da destruição e perda de vidas durante a guerra civil nigeriana. Publicidade … Aqueles de nós … que já passaram pela guerra, vão tratá-los na linguagem que eles entendem”, tuitou o presidente da maior economia africana e do país mais populoso do continente., com mais de 200 milhões de habitantes.

O tweet que se refere à guerra de Biafra (1967-70) foi considerado não conforme com as regras do Twitter que proíbem todo incitamento ao ódio, apelos à violência, ameaças.

Na altura Mercados Africanos tinha-se colocada a seguinte questão: “Terá sido esta a verdadeira  razão para este confronto entre um Estado soberano e uma plataforma digital acusada de querer dirigir ou implicar-se  no debate sobre uma questão de integridade territorial e coexistência entre comunidades, sobretudo no caso sempre tão sensível como o da guerra do Biafra?”

E tínhamos explicado que para além do mais, na altura da decisão do Twitter o presidente de Gana, Nana Akufo-Addo, tuitou: “A escolha de Gana como sede das operações do Twitter na África é uma excelente notícia para o Gana”, e acrescentou “o país trabalhará em estreita colaboração com o Twitter para ajudá-lo a ter sucesso em sua missão no continente”.

E concluímos escrevendo que “É possível que a escolha do Gana pelo Twitter e esse “grito” de vitória dos dirigentes de Accra, estejam ou pelos, tenham tido peso “pesado” na decisão de Abuja em suspender o Twitter”.

Agora e em apenas três dias após o fechamento da rede social Twitter (sexta, sábado, domingo), a Nigéria perdeu mais de 15 milhões de dólares, de acordo com a imprensa da Nigéria e um estudo da NetBlocks, uma agência de segurança cibernética e governança da Internet.

A Netblock disse que, além das implicações financeiras, a diretiva do governo nigeriano é fundamentalmente uma afronta aos direitos dos nigerianos à liberdade de expressão.

“Devemos lembrar também que o Twitter para além de uma fonte de comunicação para muitos de nossos jovens trabalhadores na Nigéria, tornou-se uma fonte de sustento para muitos, independentemente de suas afiliações políticas ou tendências religiosas. A juventude nigeriana e as organizações de comunicação digital ganham a vida podendo usar a plataforma para postar comunicações em nome dos seus clientes ”, disse o governador Seyi Makinde, do estado de Oyo, num discurso feito o último fim de semana.

Recordamos que a NetBlocks , com sede em Londres, é um monitor global da Internet que trabalha na interseção dos direitos digitais, segurança cibernética e governança da Internet. Independente e apartidário, o NetBlock procura apoiar criar um futuro digital aberto e inclusivo para todos.

Os relatórios da NetBlocks cobrem tópicos que vão desde acesso à Internet, política digital até fornecimento de energia num formato acessível e contextualizado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome