Uganda: 200 milhões para internet e digitalização

Expandir o acesso à Internet de alta velocidade e a custo acessível, melhorar a prestação de serviços públicos online e fortalecer a inclusão digital.

O Uganda vai investir 200 milhões de dólares para expandir o acesso à Internet de alta velocidade e a custo acessível, melhorar a eficiência da prestação de serviços públicos digitalmente habilitados e fortalecer a inclusão digital.

O novo Projeto de Aceleração Digital de Uganda-GovNet (UDAP-GovNet) apoiará a extensão de 1.000 quilómetros da infraestrutura de fibra a nível nacional, 500 quilómetros adicionais de ligações de rede de fibra ótica entre cidades, conexões de banda larga móvel para 900 unidades administrativas governamentais e centros de serviço em áreas recuadas e 828 pontos de acesso Wi-Fi em locais selecionados para apoiar o acesso a serviços online entre comunidades rurais e periurbanas, mal atendidas e não atendidas de todo.

“Transformar a infraestrutura digital de Uganda é uma necessidade urgente para a recuperação pós-COVID-19.” disse Tony Thompson, Gerente Nacional do Banco Mundial para o Uganda. “Esperamos que todos os cidadãos possam aceder à internet de alta qualidade e baixo custo, serviços públicos online, uma economia digital que impulsione o crescimento, a inovação e a criação de empregos”.

Do investimento de 200 milhões de dólares, 140 milhões são um empréstimo da Associação de Desenvolvimento Internacional (IDA na sua sigla em Inglês) e 60 milhões uma doação.

Este investimento ajudará a desenvolver plataformas partilhadas entre ministérios, departamentos e agências estatais e paraestatais para fornecerem com eficiência serviços públicos habilitados digitalmente para cidadãos e empresas em todo o país.

Essas plataformas digitais deverão criar as bases para uma melhor resiliência e recuperação económica, aumentando a eficácia dos serviços eletrónicos do governo que podem ser prestados remotamente, sem papel e sem dinheiro, reduzindo a burocracia, a necessidade de viagens e gastos tanto para os serviços do governo como para os utentes

A conectividade expandida também fortalecerá a inclusão digital de comunidades, melhorando a disponibilidade de infraestrutura digital e acessibilidade de conectividade com à Internet e acessibilidade de serviços digitais.

“O projeto também irá identificar e desenvolver soluções digitais que sejam inclusivas para pessoas com baixos níveis de competências digitais e alfabetização, para encorajar a sua plena participação na economia digital”, disse Raman Krishnan, Líder da Equipa do Banco Mundial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome