Morreu Frederik De Klerk, o líder branco da transição do apartheid para a maioria negra.

Frederik Willem de Klerk, o último presidente branco da África do Sul durante o apartheid, e vencedor do Prémio Nobel da Paz ao lado de Nelson Mandela em 1993, morreu esta quinta-feira, 11 novembro 201, aos 85 anos, na sua casa nos subúrbios da Cidade do Cabo, anunciou em comunicado a fundação FW Klerk.

Presidente da República de 1989 a 1994 – libertou Nelson Mandela – e trabalhou notavelmente na transição de um regime de apartheid onde a minoria branca tinha todo o poder para a transição democrática.

Face à luta árdua e indefetível do povo sul-africano e à pressão cada vez maior da comunidade internacional o ex-deputado e ministro, membro do Partido Nacional, foi o responsável pelas reformas que puseram fim ao apartheid em 1991.

Além de uma carreira ministerial e legislativa que lidera desde 1972, a carreira política deste advogado de formação, descendente de bóeres que emigraram para a África do Sul no século XVII, foi marcada, entre outras coisas, pela abertura que terminou com o regime do apartheid e conduziu às primeiras eleições democráticas ganhas pelo Congresso Nacional Africano (ANC).

Uma contribuição para a promoção da paz e para o advento de uma sociedade livre, democrática e multirracial reconhecida e aclamada pela comunidade internacional através da atribuição do Prémio Nobel da Paz em 1993, que ele dividirá com o ícone da luta anti-apartheid, Nelson Mandela.

Quando Nelson Mandela se tornou Presidente da República, o primeiro negro a ocupar essas funções, num país onde os negros constituem cerca de 80% da população sul-africana, Frederik De Klerk do Partido Nacional (NP) concordará em dividir o poder com a nova maioria, tornando-se Vice-Presidente da República que divide com Thabo Mbeki.

Uma atitude destinada a promover a reconciliação nacional manifestada e assumida por este afrikaner que contrasta com a linha política racial mantida durante décadas pelo partido nacional liderado pelo Presidente Peter Botha, a dita formação política que legalizou o apartheid em 1948.

Sob a presidência de De Klerk, o apartheid foi oficialmente abolido a 30 de junho de 1991, favorecendo o estabelecimento de uma nova constituição.

De Klerk, viria a renunciar ao governo e ao cargo de vice-presidente em 1996 antes de encerrar sua carreira política em 1997, quando deixou a liderança do Partido Nacional.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.