3 africanas entre as mais poderosas de 2021 na FORBES.

No final do ano que acaba de terminar (2021), a Forbes anunciou a sua 18ª classificação anual das 100 mulheres mais poderosas do mundo.

A lista deste ano apresentou apenas três mulheres africanas; Ngozi Okonjo-Iweala, Samia Suluhu Hassan e Mo Abudu.

Globalmente a ex-mulher de Jeff Bezos, MacKenzie Scott, lidera a classificação de 2021, substituindo a ex-chanceler alemã Angela Merkel.

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, a mulher política de maior posição na história dos Estados Unidos da América, ficou em segundo lugar.

Vindas de diferentes países, essas mulheres foram homenageadas por marcarem incisivamente a história em seus respetivos campos de trabalho e por trazerem mudanças através das suas contribuições e realizações.

Para além do mais romperam com antigas doutrinas patriarcais e “invadiram” com sucesso o que era tradicionalmente considerado bastiões masculinos.

 

1ª africana e 91ª mundial, Ngozi Okonjo-Iweala (Nigéria)

Ngozi Okonjo-Iweala
Ngozi Okonjo-Iweala

Economista e profissional de desenvolvimento internacional, Ngozi Okonjo-Iweala tem mais de 30 anos de experiência na Ásia, África, Europa, América Latina e América do Norte.

Em Março de 2021, tornou-se a primeira mulher e a primeira pessoa africana a servir como Diretora-Geral da Organização Mundial do Comércio, tornando-se dessa forma uma das pessoas mais poderosas em África.

Diz que acredita no poder do comércio para tirar os países menos desenvolvidos da pobreza e ajudá-los a alcançar o desenvolvimento sustentável.

Anteriormente Okonjo-Iweala teve dois mandatos como Ministra das Finanças da Nigéria, de 2003-2006 e de 2011-2015.

Foi também Ministra dos Negócios Estrangeiros em 2006.

Ela também foi Vice-presidente do Banco Mundial e Presidente do Conselho da Gavi, a Vaccine Alliance que imunizou 760 milhões de crianças em todo o mundo.

 

2ª africana e 94ª mundial, Samia Suluhu (Tanzânia)

Samia Suluhu
Samia Suluhu

Presidente da Tanzânia, Samia Suluhu, foi eleita por unanimidade, Presidente do partido no poder, o CCM.

Samia Suluhu Hassan tornou-se o sexto presidente da Tanzânia e a primeira mulher a aceder a esse cargo no seu país, em Março de 2021, após a morte do presidente John Magufuli.

Já tinha chegado ao cargo de vice-presidente, para o qual foi eleita pela primeira vez em 2015.

Em Setembro de 2021, tornou-se a quinta líder africana a dirigir-se à Assembleia Geral da ONU. Durante o seu discurso, criticou a desigualdade da vacina da Covid.

Suluhu diferenciou a sua liderança da do seu antecessor implementando protocolos mais rígidos de Covid, incluindo quarentenas obrigatórias para viajantes vindos de países com novas variantes, sendo por isso considerada uma das mulheres mais poderosas em África.

 

3ª africana e 98ª mundial, Mo Abudu (Nigéria)

Mo Abudu
Mo Abudu

A magnata da média nigeriana, Mo Abudu, é uma das mulheres mais poderosas da média a nível global.

Em 2006, Abudu fundou a Ebonylife TV, uma rede que agora vai ao ar em mais de 49 países de África, bem como no Reino Unido e no Caribe.

Ao longo dos anos, a EbonylifeTV fechou importantes acordos de parceria com a Sony Pictures Television, AMC Networks e Netflix.

A parceria com a Netflix marcou a primeira vez que uma empresa de média africana assinou um acordo de filmes e TV com a gigante do streaming.

Abudu nasceu em Londres, mas foi enviada pelos seus pais para morar com sua avó na Nigéria quando tinha 7 anos, tendo voltado para a Grã-Bretanha quatro anos depois.

 

O que pensas destas três mulheres? Conheces outras que mereciam estar aqui? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Forbes: Folorunsho Alakija, a mulher mais rica de África

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.