Angola/Itália: Acelerar energias renováveis.

Angola e Itália discutem as energias renováveis durante um encontro tido em Luanda a 13 de Março de 2022, entre o ministro angolano dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás Diamantino Pedro Azevedo, e o ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Luigi di Maio.

Ambas as partes concertaram-se em alargar as áreas de cooperação, além da sólida parceria no domínio dos petróleos, segundo noticia do Jornal de Angola.

Nessa ocasião ambos os governantes assumiram que face à tendência mundial, a petrolífera Eni deverá continuar a orientar-se para a geração de energias limpas, canalizando mais recursos financeiros e tecnológicos aos projetos em curso que ligam a empresa italiana e a estatal angolana Sonangol.

A geração de energias renováveis continuará a ganhar cada vez mais peso na cooperação entre Angola e Itália, traduzida na presença ativa da petrolífera ENI no país e a proposta da criação de uma comissão económica mista para acelerar a diversificação das trocas bilaterais e da economia angolana, ainda segundo o Jornal de Angola.

Durante a visita de horas ao país, o governante italiano deixou garantias que o Primeiro-Ministro italiano deverá contactar, em breve, o Chefe de Estado angolano para dar nota da importância que a Itália atribui à cooperação com Angola.

“Está visita de facto tem um objetivo e no decorrer de poucas horas, o nosso Primeiro-Ministro Mário Drag irá contactar o Presidente da República João Lourenço”, garantiu o ministro italiano

Luigi di Maio reforçou que o objetivo principal da visita de horas a Luanda cingia-se no desenvolvimento de parcerias entre a Itália e Angola nos sectores económico e energético e garantiu total apoio do Governo italiano às ações da ENI em Angola.

Em relação aos novos projetos que ambos pretendem desenvolver, deverão ser definidos, juntamente, pelos Ministérios dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás e o de Energia e Água, uma vez estar em foco as energias renováveis e o biocombustível que representa um importante passo na transição energética e ecológica.

Por sua vez, o ministro angolano dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, assegurou que o país dispõe de áreas suficientes, que permitem o alargamento da cooperação.

Em declarações à imprensa, no final do encontro mantido com o ministro Luigi di Maio, de Itália, Diamantino Azevedo disse terem sido debatido como ambas as partes poderão acelerar as relações económicas entre os países, tendo em conta o processo de diversificação da economia que ocorre em Angola.

Outro foco principal, disse o ministro angolano, foram os projetos em curso e por traçar.

Neste ponto, os parceiros económicos articularam como irão desenvolver mais os projectos já em curso, sobretudo os de “Energia Solar” e o de Biocombustível entre a ENI e a Sonangol.

“Vimos o estado atual da relação dos hidrocarbonetos, agora com a criação do novo ente – empresarial entre a ENI e a BP, denominado “Azul Energy”, e que para além de assumirmos os ativos das duas companhias, vai também dedicar-se às energias renováveis”, pontualizou Diamantino Azevedo.

 

O que achas desta cooperação Angola Itália nas energias renováveis? A aposta nesta energia limpa está ganha ou este é só o primeiro passo? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

100 milhões de dólares para energias renováveis

Imagem: © 2022 Francisco Lopes-Santos 
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.