A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) lançou esta quarta-feira (11/11) um apelo para conter o surto do gafanhoto migratório na região, uma praga destrutiva para a produção agrícola.

Volvidos 22 anos, a praga do gafanhoto migratório volta a ameaçar as plantações agrícolas na África Austral.

A praga em questão foi identificada em Maio de 2020, em oito estados membros da SADC, nomeadamente Botswana, Esuatini, Maláui, Moçambique Namíbia, África do Sul, Tanzânia e Zâmbia.

Segundo a secretária executiva da SADC, Stergomena Lawrence Tax, “ao longo dos últimos anos, a região tem sido afetada por várias pragas e doenças vegetais transfronteiriças, incluindo a do gafanhoto migratório africano, da lagarta do funil do milho, da mosca da fruta, da necrose letal do milho, e da fusariose da bananeira, assim como por três doenças animais transfronteiriças de elevado impacto, nomeadamente a febre aftosa, a peste dos pequenos ruminantes e a gripe aviária altamente patogénica”.

Na campanha agrícola 2019/2020, os danos à safra do Verão foram mínimos uma vez que a colheita já havia sido feita.

“As culturas de regadio, a safra do Inverno e a safra do Verão da próxima campanha de 2020/2021, para a qual o plantio começa em Novembro” corrente, “são suscetíveis de estar em alto risco”, alertou Stergomena Lawrence Tax.

A responsável acrescentou que o surto constitui um grande entrave à produção e produtividade agrícolas e tem potencial de aumentar a insegurança alimentar, especialmente uma vez que a situação de segurança alimentar regional já é precária.

O surto do gafanhoto migratório ocorre numa altura em que a região ainda está a recuperar de vários desastres, incluindo a seca persistente provocada pelo El Nino, que começou em 2016/17, os impactos de vários ciclones incluindo Idai, Belna e Kenneth, que assolaram a região da SADC no ano passado.

Stergomena Lawrence falou ainda da pandemia da COVID-9, “cujos impactos continuam a fazer-se sentir nos diferentes sectores” da África Austral.

Para a secretária executiva da SADC, o surto do gafanhoto migratório e os ciclones são desastres que “resultaram no aumento de vulnerabilidades incluindo da pobreza e da insegurança alimentar”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.