Analistas antecipam que países da África subsaariana voltem a emitir dívida a partir de 2021, depois de saída dos mercados financeiros motivada pela pandemia de Covid-19.

 

“Não vimos sinal de stress nos mercados secundários depois do Incumprimento Financeiro da Zâmbia. O mercado está pronto e à espera de mais ofertas, e veria com bons olhos um negócio com alguns dos emissores mais regulares da África subsaariana”, comentou o diretor do departamento do mercado de capitais do Standard Bank, em Joanesburgo, à agência de informação financeira Bloomberg.

 

Para Javier Penino Vinas, o incumprimento da Zâmbia, ao falhar o pagamento de uma prestação de 42,5 milhões de dólares, vai fazer os investidores olharem com mais atenção para os emissores mais arriscados, mas isso não vai obrigatoriamente deixar de fora países como a Costa do Marfim, Nigéria e África do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.