Agricultores africanos: mais e melhores fertilizantes.

O Mecanismo Africano de Financiamento de Fertilizantes, a Parceria Africana de Fertilizantes e Agronegócio (AFAP) e a AFRIQOM uma empresa privada de consultoria neste setor, organizaram, recentemente, conjuntamente o evento virtual, com o tema ‘Reforço da colaboração regional para financiar fertilizantes na cadeia de valor do agronegócio’.

O evento abordou o impacto da pandemia de Covid-19, que segundo Mounir Halim, CEO e fundador da AFRIQOM, tinha perturbado o mercado de fertilizantes e provocado aumento dos preços.

Os ministros da Agricultura do Maláui, Ruanda, Uganda e Zâmbia fizeram eco dessas preocupações e apelaram a mais liderança institucional, mais parcerias para evitar uma crise e mais colaboração e ferramentas inovadoras para levar fertilizantes aos agricultores

Mais de 400 participantes do governo, instituições financeiras de desenvolvimento, a indústria de fertilizantes, o setor bancário e a sociedade civil juntaram-se no Fórum inaugural de Financiamento de Fertilizantes da África Oriental e Austral para enfatizar a importância de um financiamento acessível para facilitar o acesso a insumos para um desenvolvimento agrícola próspero.

“Há necessidade de adotar boas práticas em termos de políticas e legislação “, disse o Gérardine Mukeshimana, ministra da Agricultura e Recursos Animais do Ruanda.

“Quero também salientar a necessidade de uma forte colaboração entre os setores público e privado para o crescimento sustentável da produtividade das culturas e da autossuficiência alimentar no nosso continente”, sublinhou ela.

Marie Claire Kalihangabo, Coordenadora do Mecanismo Africano de Financiamento de Fertilizantes, citou um projeto de garantia de crédito comercial de 2,4 milhões de dólares na Tanzânia, o que levou a que cerca de 530 mil pequenos agricultores do país tivessem acesso a fertilizantes.

Os participantes insistiram sobre a necessidade de financiamento inovador para ajudar os agricultores africanos que não podem pagar fertilizantes e outros insumos.

As empresas de fertilizantes salientaram que as instituições financeiras locais e as garantias parciais de risco poderiam ajudar as instituições financeiras de desenvolvimento a abordar esta questão.

Nesse sentido o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), a Sociedade Financeira Internacional (IFC) e o Banco Mundial (BM), salientaram que as instituições financeiras de desenvolvimento poderiam impulsionar a competitividade dos produtores africanos de fertilizantes através de parcerias com bancos comerciais regionais e mundiais para financiar grandes projetos.

O que pensa sobre isto? Como é a situação no seu país? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like (gosto)”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.