Aos 24 de Outubro membros da sociedade civil angolana saíram as ruas numa tentativa de manifestação que foi fortemente reprimida por efetivos da polícia Nacional.

Entre os manifestantes estiveram ativistas e membros da UNITA, principal partido da oposição em Angola que afirmaram terem-se solidarizado com a causa.

Os organizadores da manifestação exigiam o afastamento do diretor do gabinete do Presidente da República Edeltrudes Costa cujo nome surgiu numa suposta investigação sobre corrupção divulgada pelo canal português TVI.

Durante a repressão, a polícia nacional deteve mais de cem manifestantes e Jornalistas, acusados de desobediência ao decreto presidencial 276/20, que estabelece medidas mais restritivas no âmbito da prevenção da covid-19, crimes de ofensas corporais voluntárias e crimes de danos voluntários sobre bens da Polícia Nacional. Os Jornalistas foram postos em liberdade, sem qualquer explicação por parte da polícia nacional.

O julgamento dos mais de cem manifestantes teve início na segunda-feira 26 de outubro no Palácio D. Ana Joaquina onde funciona o tribunal Provincial de Luanda e terminou a 1 de novembro do presente ano, com 71 réus condenados pelo crime de desobediência, libertados e com pena convertida em multa.

Durante todo o julgamento a fachada do Tribunal Provincial de Luanda foi palco de confrontos com a polícia que chegou a proibir a presença de manifestantes nas proximidades do local após desacatos e atos de vandalismo.

Entretanto os organizadores da manifestação frustrada de dia 24 de outubro fortemente reprimida pela polícia convocaram um novo protesto para esta quarta feira 11 de novembro altura em que Angola assinala os 45 anos da Independência de Angola.

O Governo Provincial de Luanda já rejeitou a realização da manifestação agendada para esta quarta-feira, alegando que de acordo com a lei, o direito de reunião e manifestação obriga a cumprir determinados requisitos, que não foram observados entre as quais a assinatura de cinco dos organizadores, identificados com nome, profissão e morada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.