Angola: Eurobond de 1,75M milhões de dólares.

Angola levantou, a 8 de Abril de 2022, um Eurobond de 1,75 mil milhões de dólares no âmbito de uma emissão com maturidade a dez anos, com juros de 8,75%, e uma adesão que mais que duplicou o montante da oferta, segundo comunicado do Ministério das Finanças, consultado por Mercados Africanos.

Supervisionada pelo Citi e pelo Deutsche Bank, a operação é a segunda para um país africano em 2022, depois da Nigéria, primeira economia do continente, que já arrecadou 1,25 mil milhões de dólares este ano.

A transação representa o regresso de Angola ao mercado internacional de capitais após mais de 2 anos de ausência e iguala a maior emissão de Eurobonds de sempre para o país.

“Esta transação comprovou o interesse pela emissão de dívida angolana, apesar da maior volatilidade do mercado, com uma carteira de pedidos atingindo um pico de 4 mil milhões de dólares provenientes de mais de 190 investidores, representando uma taxa de subscrição 2,3 vezes superior à oferta”, lê-se no documento.

De acordo com o Ministério das Finanças, durante a operação, realizada na Bolsa de Londres, Angola alcançou uma carteira de pedidos de altíssima qualidade.

Os pedidos de gestores de ativos de alta performance e contas de dinheiro real representam 75% das alocações finais, e volumes de pedidos dos principais investidores superiores aos de outras emissões de títulos de dívida soberana realizadas por países emergentes este ano.

Segundo a nota, a operação serviu para um exercício estratégico de Gestão de Passivos, com a recompra em oferta pública de Eurobonds de cupão a curto prazo no valor de 636 milhões de dólares.

Segundo o mesmo comunicado, esta operação permite a Angola limitar os riscos de refinanciamento, prolongar a maturidade da dívida e reduzir o custo médio, mitigando assim pressões maiores sobre a tesouraria.

Recorde-se que Angola já fez três emissões de Eurobonds.

A primeira foi em Novembro de 2015, captando no mercado externo cerca de 1, 5 mil milhões, com juros de 9,5%, a liquidar em Novembro de cada ano, a partir de 2016, com uma maturidade a 10 anos.

Em Abril de 2018, teve lugar a segunda emissão de 3,5 mil milhões divididos em duas parcelas: a primeira com maturidade de dez anos e com um valor nominal de 1,75 mil milhões, emitida com uma taxa de juros de 8,25% e a segunda, com maturidade de 30 anos e com um valor nominal de 1,25 mil milhões com juros de 9,375%.

Dada a forte procura esta emissão foi reaberta três meses depois e garantiu mais 500 milhões.

A última vez que Angola emitiu um Eurobond foi antes da pandemia, em finais de 2019, num total de 3 mil milhões repartidos em duas “fatias”: uma de 1,75 mil milhões com maturidade a dez anos e uma taxa de juro de 8,00%; e uma outra a 30 anos de 1,25 mil milhões, com uma taxa de juro de 9,125%.

 

O que achas destas emissões de eurobondes? Este dinheiro vai beneficiar o povo angolano de alguma forma? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © César Magalhães

close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.