João Fadia, Ministro das Finanças da Guiné-Bissau, disse esta quinta-feira (29 de Outubro), que a Economia do país vai crescer menos de 2,9% por causa de uma previsão da queda de receita na ordem de 28% ainda no decurso este ano.

João Fadia falava aos jornalistas em conferência imprensa, quando reagia a projectada greve da maior central sindical na Administração pública guineense.

“Nós estávamos a prever um crescimento menos de 1,9%, mas há novas informações do Fundo Monetário Internacional (FMI) que dão conta, que  a Guiné-Bissau, terá um crescimento de 2,9% em 2021”.

Um crescimento que o Ministro guineense das Finanças, considerou de negativo tal como nos outros países, devido a pandemia da COVID-19.

A Guiné-Bissau, segundo João Fadia, depende muito do comércio internacional, razão pela qual, prevê uma queda de receita na ordem de 28% ainda neste ano.

Caso houvesse uma situação de normalidade no fluxo do comércio de fora para o país, a Guiné-Bissau até contava crescer em 4,8% em 2021, referiu o ministro das finanças.

João Fadia espera que os países consigam lidar melhor com a COVID-19.

“No início da pandemia, ninguém sabia lidar com a doença, mas hoje as pessoas já têm a noção de como se prevenir e poder trabalhar para alavancar a nossa economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.