Argélia “empurra” exportações intra-africanas

Numa Feira Económica destinada ao mercado africano realizada em Adrar, na Argélia, o governo argelino anunciou disponibilizar e facilitar “todas as instalações” para exportadores, fora do setor petróleo e gás, que pretendam implantar-se no continente africano.

Um dos primeiros países a assinar o tratado da Zona de Comércio Livre Continental Africano (ZCLCA), a Argélia quer aumentar as exportações para o mercado africano.

O Ministério do Comércio e Promoção das Exportações (MCPE) anunciou recentemente a concessão de facilidades a exportadores locais fora do setor petróleo e gás

Redouane Alili, secretário-geral do ministério, explicou esta decisão pelo recorde de receitas de exportação fora do setor dos hidrocarbonetos (mais de 3 mil milhões de dólares), registado durante o ano fiscal 2019.

A transportadora pública Logitrans reiterou o seu compromisso de ajudar os exportadores a alcançar os seus países-alvo, da Tunísia ao Senegal, passando pela Mauritânia ou Mali.

Neste esquema, os transportadores rodoviários vão beneficiar, principalmente, da autoestrada transariana Argel-Lagos, com 4000 quilómetros de extensão, que deverá estar concluída até ao final do ano 2021.

“Tem sido feito um esforço enorme em matéria de transporte internacional de diversos produtos utilizando os recursos materiais e humanos do grupo para conquistar o mercado africano”, afirmou a representante Radia Salamani.

O anúncio do ministério veio como parte da Feira Econômica para o Mercado Africano, um evento comercial de 2 semanas que se passou em Adrar, a sudoeste de Argel e que é uma vitrine do artesanato argelino, agricultura, cosméticos, arquitetura e de outros setores.

Recorde-se que assinatura do acordo de criação da Zona de Livre Comércio Continental Africana (ZCLCA) foi considerada um marco histórico para o desenvolvimento económico do continente e entrou em vigor com a expectativa de duplicar as trocas no continente em 20 anos, segundo a Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA).

A estrutura de mercado único do ZCLCA visa melhorar a perspetiva do continente para gerir a cadeia de valores, produção global e capacidade de consumo. A integração dos mercados africanos através do ZCLCA oferece oportunidades iguais para abrir mercados a todos os países participantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.