A fim de impulsionar as capacidades profissionais, os rendimentos e o acesso ao financiamento de milhares de pequenas agricultoras da Costa do Marfim no setor de alimentos básicos, a Sociedade Financeira Internacional (IFC na sigla inglesa) e a iniciativa Ação Financeira Afirmativa para Mulheres em África (AFAWA) do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) anunciaram nesta quarta-feira, 17 de junho 2021 um novo programa, segundo comunicado a que teve acesso Mercados Africanos.

O projeto de consultoria de três anos – em consulta com o governo da Costa do Marfim e instituições financeiras – apoiará 200 organizações de agrícolas lideradas por mulheres.

O Projeto visa ajudar organizações informais e pequenas agricultoras no processo de formalização das suas empresas, através da formação em  técnicas  comerciais, gestão financeira e de contratação.

O projeto trabalhará diretamente com instituições financeiras na Costa do Marfim, ajudando-as a compreender melhor e atender às necessidades de financiamento das mulheres.

Além disso, servirá como uma plataforma para sustentar a colaboração com o governo para melhorar o ambiente de negócios para cooperativas lideradas por mulheres por meio de reformas legais, regulatórias e institucionais.

“Este projeto abrangente com o Banco Africano de Desenvolvimento é uma excelente oportunidade para as empresas agrícolas lideradas por mulheres da Costa do Marfim criarem e desenvolverem seus negócios. O Financiamento acessível e sustentável para mulheres é uma prioridade para a IFC devido ao seu potencial para apoiar empreendedoras e as suas famílias, bem como para o crescimento da economia em geral “, disse Aliou Maiga, Diretor Regional da IFC para a África Ocidental e Central.

Recorde-se que a agricultura é responsável por cerca de um quarto do PIB da Costa do Marfim e quase metade do seu emprego. As cooperativas de mulheres agricultoras no país geralmente não têm acesso a formação em gestão financeira e comercial, o que limita suas receitas e oportunidades de crescimento.

“Trabalhar com o governo da Costa do Marfim para resolver os estrangulamentos enfrentados pelas cooperativas de mulheres na produção de alimentos básicos e melhorar o seu ambiente de negócios terá um impacto positivo na produção de alimentos no país, mas também aumentará a capacidade das cooperativas lideradas por mulheres de participarem plenamente do crescimento econômico do país “, disse Marie Laure Akin-Olugbade, Diretora Regional do Banco Africano de Desenvolvimento para a África Ocidental.

O projeto de consultoria de 3 milhões de dólares  visa demonstrar a viabilidade, potencial, lucratividade e capacidade comercial de pequenas e médias empresas (PMEs) de propriedade de mulheres nos mercados emergentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.