BADEA lança coligação de apoio às MPME

As Micro e Pequenas Médias Empresas (MPME) estiveram no centro da segunda edição do fórum comercial 2021 do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África (BADEA), terminado recentemente no Cairo, capital egípcia, segundo comunicado do Banco, ao qual teve acesso Mercados Africanos.

As MPME africanas, que são as prioridades do BADEA neste contexto de recuperação pós-COVID-19, devem agora ser o centro de uma “coligação global” entre os atores financeiros árabes e africanos.

Sem surpresa, neste contexto pós-COVID-19, as MPME africanas estiveram no centro das discussões da segunda edição do fórum comercial Árabe-África na presença de trinta personalidades das instituições financeiras do continente.

O tema do evento «Global Coalition» enquadra-se na política do BADEA, uma instituição solidária, ponte entre o mundo árabe e a África.

O Fórum confirmou o interesse das micro pequenas e médias empresas (MPME) em África, num contexto em que o financiamento está a tornar-se escasso.

O objetivo é criar uma plataforma global para divulgar as melhores práticas de apoio às PME.

Ould Tah, CEO do BADEA sublinhou que:

“Embora muitos líderes africanos estejam empenhados em promover jovens e mulheres empresárias a fim de libertar o potencial de inovação, no entanto a pandemia está a pressionar as MPME”.

“Cujo número é estimado entre 85 e 95 milhões no continente, uma faixa composta por 86% de microempresas com cerca de dez trabalhadores cada”.

O economista guineense, Carlos Lopes, que também participou no evento enfatizou que:

“Com a COVID-19, houve uma queda acentuada dos nossos lucros tanto nas PMEs como nas grandes empresas e às vezes até nos estados”.

Assim, a coligação global deve criar sinergias entre os países africanos e árabes. Algumas iniciativas já estão em andamento.

A Agência de Desenvolvimento da União Africana (AUDA), com o apoio do Ecobank e o compromisso de muitos outros atores, incluindo o BAD, lançou em maio de 2021 uma campanha chamada “100.000 MPME” para um milhão de empregos nos próximos três anos.

Em última análise, a meta é gerar 440 milhões de empregos em dez anos.

 

O que achas do BADEA? Este tipo de iniciativas de apoio as MPME são boas para relançar a economia africana? Sim ou Não? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Moody’s atribui AA2 ao BADEA

Imagem: © 2021 BADEA 
close
pub

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.