BCEAO: Risco moderado de sobre-endividamento, exceto a Guiné-Bissau e o Togo.

De acordo com a instituição bancária da zona do FCFA da África Ocidental, o rácio entre a dívida externa e o PIB está estimado em 29% em 2019 para os 8 países da região, contra 26,5% um ano antes.

De referir que a dívida externa global dos 8 países em causa ascendia a 25,731 mil milhões de FCFA (cerca de 48 mil milhões de dólares) no final de dezembro de 2019, contra 22,094,2 mil milhões de FCFA no final de dezembro de 2018, ou seja, um aumento anual. em 16,5%.

Este rácio entre a divida externa e o PIB era o seguinte “24,0% em 2019 contra 19,4% em 2018 no Benim, 22,8% contra 21,4% no Burquina Faso, 25,9% contra 23,6% na Costa do Marfim, 40,5% contra 34,3% na Guiné-Bissau, 23,5% contra 24,1 % no Mali, 25,4% contra 24,3% no Níger, 53,5% contra 47,7% no Senegal e 17,7% contra 15,2% no Togo”, diz o relatório, acrescentando que nenhum país da União acumulou atrasos no pagamento da sua dívida externa em 2020.

Entre os 8 países membros a Guiné-Bissau e o Togo apresentam um risco elevado de sobre-endividamento externo para a dívida total, indica o banco central comum aos dois países – o Banco Central dos Estados da África Ocidental (BCEAO) – no seu relatório anual sobre os desempenhos do ano 2020, lido por Mercados Africanos.

Com exceção dos dois países acima mencionados, o documento mostra que as últimas análises de sustentabilidade da dívida nos países do BCEAO mostram que – de forma geral – os riscos de sobre-endividamento são moderados para todos os outros estados-membros da UEMOA.

“O perfil da dívida dos Estados da União melhorou muito graças às Iniciativas dos Países Pobres Altamente Endividados (HIPC na sua sigla em Inglês) e de Alívio da Dívida Multilateral (MDRI na sua sigla em Inglês).

O endividamento público voltou a subir no início da década de 2010, fruto da maior capacidade de endividamento e do aumento da necessidade de financiamento”, afirmou o Banco Central.

Recorde-se que o Banco Central dos Estados da África Ocidental (BCEAO) é o instituto emissor comum aos oito (8) estados-membros da União Monetária da África Ocidental (UMOA).

O BCEAO é uma instituição pública internacional com sede em Dacar, Senegal, goza do privilégio exclusivo de emissão monetária em todos os estados-membros da União, ao emitir as notas e moedas comuns e em circulação nos estados-membros.

Não obstante o desenvolvimento dos meios de pagamento digitais, a utilização de notas e moedas continua a ocupar um lugar relativamente importante nas transações dos agentes económicos dos países da União.

Os oito (8) estados-membros são: Benim, Burquina Fasso, Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Mali, Níger, Senegal e Togo

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.