Botsuana avança na transição energética.

O Fundo de Energia Sustentável para África (SEFA), gerido pelo BAD, disponibilizou 1 milhão de dólares para facilitar a transição energética do Botsuana para a energia limpa.

Este financiamento para assistência técnica, vai apoiar esse país da África Austral a colmatar lacunas em matéria de políticas, regulamentação e quadros jurídicos.

Também incluem a introdução de melhor planeamento para reduzir custos, impactos ambientais adversos e sobretudo o apoio ao aumento da participação do setor privado nos investimentos de geração de energia renovável.

Espera-se que os resultados do projeto da transição energética possam contribuir para a implementação do primeiro Plano Integrado de Recursos (PRI) do Botsuana, facilitando assim investimentos em novas capacidades de geração solar fotovoltaica e eólica, no montante mínimo de 100MW e 50MW, respetivamente, até 2030.

Através do seu apoio ao desenvolvimento do setor de produção de energia renovável no Botsuana, o projeto da transição energética contribui também para a iniciativa Mega Solar, lançada em 2021 em colaboração com a Namíbia e parceiros de desenvolvimento, com o objetivo de construir capacidade de energia renovável nos dois países, para permitir a exportação de eletricidade para o resto da região.

O projeto “contribuirá para o apoio à transição energética do Botsuana”, disse Daniel Schroth, Diretor Interino para as Energias Renováveis e Eficiência Energética do Banco Africano de Desenvolvimento.

“Tem sido um longo caminho até chegarmos a esta subvenção “, observou Duncan Morotsi, Diretor de Operações da Autoridade Reguladora da Energia do Botsuana (BERA).

“A aprovação é um grande passo em frente para facilitar os produtores independentes de energia (IPPs), as fontes de energia renovável e as tarifas que refletem os custos no Botsuana. Valeu a pena procurar esta assistência técnica do Banco Africano de Desenvolvimento”.

Recordamos que o SEFA é um Fundo Especial Multidoadores que visa desbloquear investimentos do setor privado que contribuam para proporcionar acesso universal a serviços energéticos acessíveis, fiáveis, sustentáveis e modernos para todos em África.

 

O que achas disto? Vale a pena aproveitar o sol e a força dos ventos para produzir energia limpa? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.