Cabo Verde 2022:  Crescimento de 6%, mas sem aumentos salariais

O Governo de Cabo Verde chamou os parceiros sociais para discutir as contas para 2022. Será um ano de crescimento económico de 6%, mas sem aumentos salariais, o que desagrada aos sindicatos.

As Linhas Orientadoras para a proposta do Orçamento do Estado para 2022 foram aprovadas por maioria, na sexta-feira, em Conselho de Concertação Social, prevendo um valor base a rondar os 72 mil milhões de escudos.

“Será um instrumento limitado por uma enorme rigidez ao nível da estrutura das despesas. Não obstante as perspetivas positivas, o cenário para 2022 ainda será muito crítico e a inspirar grandes contenções”, afirmou Olavo Correia, que é também vice-primeiro-ministro, reconhecendo que no próximo ano o serviço da dívida vai aumentar em nove mil milhões de escudos (81,5 milhões de euros).

“O que é crítico para o Orçamento do Estado Cabo-verdiano. O país estará confrontado com um volume de riscos na ordem dos 10 mil milhões de escudos [90,5 milhões de escudos]”, apontou.

De fora fica para já qualquer previsão de aumentos salariais em 2022, devido à situação económica em Cabo Verde, face à ausência de turismo, provocada pela pandemia.

Olavo Correia afirma que a previsão de crescimento para 2022 “está à volta dos 6%”, sendo “certo o grande nível de incertezas que ainda paira sobre a economia mundial”, devido à pandemia, “e com impactos já conhecidos” na economia do arquipélago.

Face à crise económica provocada pela pandemia de covid-19, com quebra nas receitas fiscais e a necessidade de aumento de apoios sociais e às empresas, o Governo cabo-verdiano está a recorrer desde abril de 2020 ao endividamento público para financiar o funcionamento do Estado, tendo o endividamento externo disparado para um valor global de quase 1.700 milhões de euros.

O ‘stock’ da dívida pública de Cabo Verde aumentou em julho para mais de 269.258 milhões de escudos (2.427 milhões de euros), equivalente a 153,6% do Produto Interno Bruto (PIB) estimado para 2021, devido à pandemia, de acordo com dados do relatório síntese da execução orçamental.

Até julho, a dívida pública contraída internamente valia o equivalente a 47,3% do PIB cabo-verdiano (42,7% em julho de 2020), aumentando para mais de 82.986 milhões de escudos (748 milhões de euros), enquanto a dívida externa valia 106,3% (107,7% em 2020), equivalente a 186.672 milhões de escudos (1.683 milhões de euros).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.