Cabo Verde abriu Embaixada na Nigéria.

Como era esperado Cabo Verde abriu nesta sexta-feira uma Embaixada em Abuja, capital da Nigéria no seguimento do que o Presidente eleito de Cabo Verde, José Maria Neves, tem vindo a afirmar a importância estratégica que sempre atribuiu à inserção competitiva de Cabo Verde neste espaço regional, e o compromisso de contribuir para o aprofundamento com os países que compõem a CEDEAO, sempre tendo em conta as especificidades de Cabo Verde.

A abertura oficial desta primeira Embaixada de Cabo Verde na República Federal da Nigéria, que representa também Cabo Verde junto da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) foi presidida pelo Primeiro-ministro, segundo comunicado no site do Governo nesta sexta-feira, 19 novembro 2021, lido por Mercados Africanos.

Numa publicação feita nesse mesmo dia, na sua página na rede social Facebook, o chefe do Governo, Ulisses Correia e Silva, refere que a inauguração da embaixada é um sinal claro no reforço das relações políticas, económicas e culturais com a Nigéria e com os países da CEDEAO.

“Queremos ser mais conhecidos na CEDEAO e conhecer melhor os países da CEDEAO, assim como vamos trabalhar para uma maior integração dos mercados, conectividades, comércio, investimento privado e turistas”, diz.

Em comunicado sublinha que Cabo Verde “tem interesse na cooperação com a Nigéria e em áreas como a educação, assistência técnica, setor das pescas, setor da indústria, da aviação civil, comércio, entre outras”.

O mesmo comunicado realça que a Nigéria é “estratégica para qualquer país da África ocidental”, face “ao seu peso político e económico” na sub-região e por ser o Estado sede da CEDEAO.

Para o chefe do Governo, a criação da Zona de Comércio Livre Continental Africana e a liberalização do espaço aéreo africano abrem oportunidades para uma maior dinamização e crescimento das transações económicas e comerciais entre os países africanos e oportunidades de mercado. Neste sentido reafirma que Cabo Verde está interessado e quer posicionar-se como um hub aéreo e digital em África e integrar as cadeias de valor regionais no comércio e na indústria.

“A pretensão maior é promover o estreitamento das relações bilaterais, de amizade e de cooperação, quer através do diálogo político-administrativo, quer no incremento de novas parcerias, bem como explorar as oportunidades de investimento que se vislumbrem”, lê-se no comunicado.

Recorde-se que Abuja, capital da Nigéria, é a sede da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da qual Cabo Verde faz parte desde 1976.

Nesse sentido, torna-se “indispensável uma presença permanente e ao mais alto nível de Cabo Verde”, para “incrementar relações bilaterais entre os dois países e acompanhar sistemática e ativamente a evolução do processo de integração regional, assegurando melhor inserção do país na sub-região”, lê-se ainda.

O Embaixador residente, Belarmino Silva, apresentou as suas cartas credencias no passado dia 29 de outubro 2021, quando iniciou oficialmente as funções de Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário de Cabo Verde naquele país.

A CEDEAO é composta por 15 países situados na região da África ocidental – Cabo Verde, enquanto arquipélago, é o único sem fronteira terrestre com os restantes – o Benim, Burquina Faso, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné-Conacri, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo.

Veja Também: XXIV Feira Internacional de Cabo Verde com 123 participantes

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.