O primeiro-ministro de Cabo Verde destacou ontem (02/12), durante uma sessão na Web Summit, que decorre em formato virtual este ano, que o arquipélago criou um ecossistema para a inovação e o empreendedorismo digital, recolhendo os frutos em vários rankings internacionais e contribuindo para a criação de emprego.

“Precisamos de bons empregos para os jovens e para diversificar a economia”, disse o líder do Governo, passando em revista os vários programas lançados nos últimos anos para impulsionar a digitalização do país, da administração pública e para facilitar os fluxos de investimento, como o ‘Cabo Verde Digital’, o ‘Kode Verde – Academia de Código’ e o Re!nventa’.

A aposta está a dar frutos, com duas empresas tecnológicas start-ups a figurarem nas 50 melhores africanas, e colocando o país no 91º no top 100 do índice mundial de sistemas de inovação.

O objetivo é que o arquipélago possa ser um ‘hub’ ou ponto de ligação entre África e o Atlântico, de modo a exportar todo o conhecimento e a inovação digital que pode ser produzida em Cabo Verde e acessível em todo o mundo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.