Camarões investe 417 milhões de dólares para modernizar infraestrutura.

O Banco Mundial abriu uma linha de crédito de 236,5 mil milhões de FCFA (417 milhões de dólares) para melhorar e modernizar a infraestrutura em setores básicos, incluindo produção agrícola, educação e formação.

Com a duração de quatro a sete anos, esses projetos abrangem agricultura, mudança climática, empoderamento de meninas, educação e formação profissional.

Os projetos selecionados abrangem todos os setores básicos e devem contribuir para a melhoria das condições de vida das populações, com ênfase no combate à pobreza. Daí a promoção de atividades geradoras de renda, a fim de promover um melhor atendimento pelos grupos-alvo.

O empréstimo também será utilizado para implementar projetos de desenvolvimento e atrair investimentos na parte norte do país, o empoderamento das mulheres e o dividendo demográfico na região do Sahel, o apoio ao desenvolvimento do ensino secundário e a aquisição de capacidades para o crescimento e o emprego.

A assinatura deste contrato de empréstimo eleva para 18 o número de projetos da carteira do Banco Mundial (BM) em execução nos Camarões.

Além disso, o volume da carteira aumentou 23,7%, situando-se atualmente em 1234 mil milhões de FCFA (2,1 mil milhões de dólares).

Os investimentos do Banco Mundial incidem principalmente no setor de energia com 44%, os setores de educação, saúde e proteção social 25%, desenvolvimento rural 16% e boa governação 14%.

Recorde-se que Mercados Africanos noticiou que os Camarões no final de julho 2021, tinham recebido da parte do FMI, um empréstimo de 675 milhões de dólares para o triênio 2021-2024, com um desembolso de 177.2 milhões de dólares montante da primeira “fatia”, que chega no momento em que o país atravessa um contexto económico difícil, sob efeitos combinados da pandemia e da crise sociopolítica nas regiões noroeste e sudoeste do país.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.