CAN tornou-se a “piada” do Mundo.

O duelo entre as Águias do Mali e a Tunísia, foi muito intenso nesta tarde de quarta-feira, 12 de Janeiro de 2022. No entanto, falaremos do encontro num outro artigo.

Como dizíamos o jogo foi intenso… mas sobretudo porque terminou em caos, quando o árbitro do encontro apitou duas (2) vezes antes dos 90 minutos.

O árbitro zambiano Janny Sikazwe apitou inicialmente para o final do jogo com apenas 85 minutos no relógio. Ao notar o erro, o zambiano finalmente retomou o jogo.

Mas depois aos olhos do Mundo terminou o jogo um pouco antes dos 90 minutos, apesar de uma série de paralisações no segundo tempo, incluindo uma controversa revisão do árbitro assistente de vídeo (Var) e uma pausa para bebidas.

Com o Mali a vencer por 1 a 0, o banco da Tunísia reagiu furiosamente quando soou o apito final. O treinador e a equipa técnica correram para o campo para confrontar o árbitro, apontando com raiva para os relógios e exigindo que os acréscimos fossem jogados nesta partida do CAN.

Imagens da televisão da redação de Mercados Africanos indicavam 89 minutos e 45 segundos em tempo integral quando o fim do encontro foi definitivamente apitado.

Não haveria reinício, apesar da CAF ter ordenado a retomada da partida, após ter demorado demasiado tempo e substituído Sikazwe pelo quarto árbitro.

O Mali, apesar do treinador já estar na conferência de imprensa ainda voltou ao estádio apesar de estar descontente em retomar o encontro e terminar este jogo do CAN 2021, mas a Tunísia já estava no autocarro e não voltou.

Se a Tunísia protestar contra a arbitragem não está claro o que poderia acontecer, a menos que a CAF considere adequado ordenar uma repetição devido à perda de três minutos (e isso levaria a uma contra reclamação do Mali).

Mas voltemos ao essencial.

Sabe-se lá o que passou pela cabeça do árbitro Sikazwe.

Portanto o zambiano é um árbitro experiente, tendo apitado a final da CAN em 2017, dois jogos no Mundial de 2018 e a final do Mundial de Clubes em 2016.

Mas Sikazwe também foi suspenso provisoriamente em Novembro de 2018 por suspeitas de corrupção na forma como lidou com um encontro da Liga dos Campeões Africanos, mas voltou a atuar em Janeiro de 2019 depois de a FIFA ter relevado a suspensão.

Tantos erros em tão poucos minutos a este nível é inadmissível.

O que aconteceu foi horrível para a CAF no seu principal torneio.

Recordamos que ultimamente, figuras públicas e os média africanos, tal como Mercados Africanos, têm vindo a exigir ao resto do mundo, sobretudo aos clubes europeus de tratarem a CAN como uma competição maior e não um interregno menor e preocupante na atuação dos jogadores africanos nos campeonatos europeus.

Incidentes como estes fazem o mundo uma vez mais olhar para a CAN e a capacidade de organização africana, no mínimo com sorrisos condescendentes.

Mas sobretudo fazem perder muitos anos e lutas para dar à CAN o lugar que ela merece no concerto do desporto mundial, para além de dar razão aos que de África só veem ou querem ver o negativo.

Uma coisa é certa este jogo com três apitadelas finais ficará para sempre na memória do futebol africano e mundial.

 

O que estás a achar do CAN2021? Esta barracada irá prejudicar o CAN e o futebol africano? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.