CAN2021: Cabo Verde e Camarões entram a ganhar.

 

Os Camarões

Os Camarões não brilharam, longe disso, mas fizeram o essencial ao vencer” a ferros” o Burquina Faso, graças a um duplo pênalti ambos marcados por Vincent Aboubakar (40’ e 45’ + 3) neste domingo 9 janeiro 2022 em Yaoundé.

No entanto, os Garanhões do Burquina Faso, mostraram que tinham vindo para marcar e colheram a frio os Leões Indomáveis, na sequência do golo de Gustavo Sangaré (24’).

O estádio barulhento de repente, “gelou”.

Mas, os camaroneses conseguiram reverter a tendência e vencer a partida.

Vejamos como foi.

Como bom capitão e muito experiente, Vincent Aboubakar manteve a calma, após a abertura do marcador por Gustavo Sangaré a favor do Burquina Faso, aos 24 minutos de jogo.

Um golo que esfriou completamente os milhares de adeptos camaroneses que se deslocaram no domingo, 9 de janeiro 2022, a Yaoundé, para apoiar e vibrar com a seleção camaronesa, no encontro inaugural da 33ª edição do CAN.

Os camaroneses aproveitaram dois erros crassos da defesa do Burquina Faso que cometeu duas faltas de “bradar aos céus” e que inevitavelmente deram grande penalidade.

Na primeira o árbitro argelino demorou a marcar, mas após ter sido chamado pelo VAR para analisar o que se tinha passado, apitou e indicou a marca de grande penalidade.

Chamado a marcar por duas vezes os pênaltis (40’ e 45’ + 3), Vincent Aboubakar brilhou e de ambas, enganou o guarda-redes Koffi.

Para além da vitória final dos Leões Indomáveis, diante do seu público, Vincent Aboubakar foi eleito o homem do jogo.

“O mais importante esta noite foi a vitória e conseguimos. Agora temos que continuar o trabalho, ainda há um longo caminho a percorrer”, disse após o encontro.

Cabo Verde

Por seu lado, Cabo Verde regressou ao Campeonato Africano das Nações de futebol, sete anos após a última participação que ocorreu em 2015 na Guiné Equatorial.

Um regresso com um triunfo para os Tubarões Azuis por 1-0 frente à Etiópia.

Sabia-se que a estreia frente à Etiópia não ia ser fácil, seria mesmo complicada, devido aos casos de Covid-19, entre eles o guarda-redes Vozinha, o capitão Ryan Mendes e o próprio selecionador principal.

Com apenas 17 jogadores disponíveis para este encontro com a Etiópia, mas sem medos, os Tubarões Azuis entraram em campo, aguerridos, fortes e sobretudo determinados.

Prova disso, aos 12 minutos, o avançado Júlio Tavares recuperou a bola da defesa etíope e arrancou em direção à baliza quando sofreu uma falta de Yared Bayeh.

Hélder Martins, o árbitro angolano, primeiro deu um cartão amarelo a Yared Bayeh, mas graças ao VAR decidiu expulsar o defesa etíope situação que os cabo-verdianos souberam explorar para dominar o jogo e criar várias oportunidades de golo, o que viria acontecer aos 45+1 minutos de jogo.

Júlio Tavares cabeceou para o fundo da baliza após um cruzamento do avançado Garry Rodrigues.

Na segunda parte os Tubarões Azuis tentaram marcar o segundo golo, mas foram “impedidos” pelo guarda-redes etíope, Teklemariam Shanko Balcha.

Conclusão

A Seleção dos Camarões e os Tubarões Azuis lideram o grupo A com 3 pontos cada.

No próximo jogo, a 13 de Janeiro, os Camarões defrontam a Etiópia, enquanto Cabo Verde mede forças com o Burquina Faso.

Parabéns e boa sorte!

 

Viste os jogos?  O que achas dos Tubarões Azuis? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.