CAN2021: Na final “duelo” Salah vs. Mané.

Os sonhos dos Camarões de irem até à final e vencerem em casa, a sexta CAN frente ao seu publico, desfez-se na noite desta quinta-feira, 3 de Fevereiro de 2022 na meia-final que o opôs os Leões Indomáveis aos Faraós.

Os Leões Indomáveis ​​não podem culpar ninguém pela derrota (1-3), a não ser a eles próprios, pela falta de eficiência no tiro de penáltis depois dos 90 minutos regulamentares mais os 30 de prolongamento, num encontro em que dominaram completamente a primeira parte.

Na segunda parte, os egípcios foram muito mais incisivos sob o ímpeto de Trezeguet, que entrou depois do intervalo com Marmoush a abrir o caminho para o golo, bloqueado in extremis por Castelletto.

Outro momento de calafrios no estádio, aconteceu quando Hongla faz um passe para trás, mas muito lento do qual Salah se aproveita e corre para a baliza.

Aos Leões Indomáveis, valeu a visão e atenção do guarda-redes Onana que saiu dos postes e apareceu aos pés da estrela do Liverpool e conseguiu evitar o pior

À medida que o tempo passava a pressão egípcia foi enfraquecendo e o jogo tornou-se mais equilibrado, mas também monótono.

Única excitação a assinalar aconteceu quando o treinador português, Carlos Queiroz, muito nervoso, e que vinha a discutir com o árbitro quase desde o início do encontro, após ter recebido dois cartões amarelos foi expulso quando decorria o 90º minuto +1.

No final do prolongamento, os Camarões que se tinham mostrado dominantes durante toda a competição assim como neste encontro, tremeram e caíram na marcação dos penáltis, exceção feita para Vincent Aboubakar, o ex-portista, que marcou.

Quanto aos seus colegas de seleção, Moukoudi e depois Léa Siliki “tropeçaram” no guarda-redes dos Faraós, Gabasky, ao passo que Njie nem sequer acertou na baliza e enviou a bola para o lado.

Quem disse que os penáltis são sorte?

Os Faraós, mas também Vicent Aboubakar, demonstraram o que se necessita: frieza, concentração, uma mente de ferro e muita confiança.

O técnico português António Conceição ao indicar três suplementes para marcar os penáltis, provavelmente não fez a melhor escolha.

Na bancada o inesquecível Samuel Eto’o mal acreditava no que acabava de ver e tal como os adeptos no estádio, seguramente que todo o povo camaronês, chorou um jogo perdido desta forma.

Assim termina de forma inglória o percurso dos Leões Indomáveis e ainda não será desta que a sexta estrela chegará à camisola da seleção camaronesa.

Os Faraós “vingaram-se” da final perdida de 2017 contra os Leões Indomáveis e vão desafiar o Senegal na final neste domingo, 6 de Janeiro de 2022.

Seja o que acontecer na final, teremos o prazer de ver Mané contra Salah, um regalo para o que já se pensa que seja uma grande final do CAN2021.

 

Viste o jogo? O que achaste? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Veja Também:

CAN2021: Sadio Mané leva os “Leões” à final

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.