Carlos Fonseca na ONU: Utilizar as crises para criar oportunidades.

O presidente de Cabo Verde, Carlos Fonseca – o segundo a discursar, dos 3 presidentes dos PALOP presentes na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque – destacou nesta quarta-feira, 22 setembro 2021, o multilateralismo como resposta aos grandes desafios atuais e sublinhou os efeitos das mudanças climáticas, de conflitos geopolíticos e da insegurança.

Falando durante cerca de 30 minutos, na 76ª sessão da Assembleia Geral, Carlos Fonseca que utilizou uma linguagem muito imaginativa, explicou que Cabo Verde criou a estratégia Ambição 2030 para retomar o processo do desenvolvimento sustentável e reconstruir melhor na realidade pós-pandémica e que os maiores obstáculos incluem acesso ao financiamento concecional e a atração do investimento direto externo.

Jorge Carlos Fonseca abordou em seguida os pequenos Estados insulares que sofrem economicamente devido à pandemia de Covid-19: “A recuperação económica continua a ser, paralelamente, uma prioridade importante para nós. Nesse âmbito, as manifestações e o impacto do Covid-19 somente exacerbaram as condições preexistentes, fazendo dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento os mais afetados pela pandemia”, acrescentou o Chefe de Estado.

“A pandemia do Covid tem destruído vidas, comprometido os cuidados de saúde, desestruturado economias e sistemas de proteção social, reduzido oportunidades de educação e de emprego aos jovens e aumentado a pobreza e a desigualdade, expondo com maior incidência aos efeitos das mudanças climáticas e fragilizando, ainda mais, os mais frágeis. Mas também temos presenciado as oportunidades que têm surgido do combate à pandemia, ou suscitadas pela busca de soluções”, sublinhou Fonseca.

Ao apontar essas oportunidades referiu-se ao papel preponderante que tiveram as novas tecnologias e ao contributo da ciência na corrida para a obtenção de vacinas.

O chefe de Estado cabo-verdiano realçou que tal como a Covid-19 existe uma cadeia de outras crises como as mudanças climáticas, os conflitos geopolíticos e a insegurança criminosa.

O Presidente cabo-verdiano também lembrou que os pequenos Estados insulares têm oportunidades de investimento e há que tomar em consideração estas nações: “Cabo Verde integra no seio das Nações Unidas, a Associação dos Pequenos Estados Insulares que está a favor dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento medidas de apoio internacional, globais e diferenciadas. Os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento em cada uma das três regiões geográficas de inserção têm sectores que oferecem oportunidades de crescimento económico em áreas de recursos naturais, do turismo, da economia azul, entre outras.”, enfatizou Jorge Carlos Fonseca.

E concluiu dizendo que “o sucesso das metas globais sob o lema o “Futuro que queremos” depende da capacidade de aproveitar as oportunidades que nascem das crises pendentes”.

Veja no canal oficial do YouTube da ONU News, o discurso na íntegra, do presidente de Cabo Verde, Carlos Fonseca, na Assembleia Geral da ONU.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.