Carlos Vila Nova, tomou posse como Presidente de São Tomé e Príncipe (II).

Durante a tomada de posse Carlos Vila Nova sublinhou que está “plenamente consciente” das expectativas do povo e das suas ambições e que agora não importa o sentido de voto de cada um, pois é o novo Presidente de todos os são-tomenses.

Repetiu a necessidade do diálogo construtivo e da união para o progresso do país e não esqueceu da juventude.

O novo Presidente lembrou também os efeitos do novo Coronavírus que apenas no último mês matou cerca de 20 cidadãos e dos apoios da Comunidade Internacional.

Instou o governo a ser mais interventivo nas áreas dos negócios estrangeiros e da defesa e segurança, duas áreas de responsabilidade constitucionalmente partilhada com o Governo,

Carlos Vila Nova quer que esses dois setores sejam mais interventivos para que o país possa aumentar a sua credibilidade externa.

Durante o seu discurso Carlos Vila Nova enfatizou o seguinte:

O novo presidente tem a partir de agora uma população que acredita que ele poderá ser a tábua de salvação para a extrema pobreza em que vive pelo menos 64% dos cerca de 210 mil habitantes do seu país que confundem as funções de presidente da república com as do executivo.

Nos últimos meses o custo de vida aumentou vertiginosamente com os preços dos principais produtos da cesta básica a disparar consideravelmente.

O governo iniciou há uma semana o segundo pagamento de um programa de assistência financeira a mães carenciadas com financiamento do Banco Mundial. Cada família recebe 1. 800,00 Dobras (moeda local), em cada dois meses, esquivamente 75 euros, durante um período de nove meses.

O governo diz que existem mais de 32 mil famílias a necessitar deste apoio e já propôs ao Banco Mundial o aumento do número de beneficiários e o prolongamento do período dos pagamentos.

O primeiro-ministro augurou muito sucesso ao novo presidente, desejando que o país continue a navegar a favor da paz.

“A democracia é que venceu. Enquanto a humanidade não consegue encontrar um sistema perfeito, penso que a democracia é o melhor sistema neste momento porque ela esta alicerçada na vontade do povo”, disse Jorge Bom Jesus, defendendo o diálogo, a capacidade dos homens em conversar, porque queremos paz, desenvolvimento e naturalmente liberdade”.

O antigo presidente Fradique de Menezes disse ao Mercado Africano esperar que o mandato do novo presidente da república traga nova esperança para a estabilidade e um relacionamento são entre os órgãos de soberania e partidos políticos.

“Esperamos que ele nos traga a estabilidade e um relacionamento muito são com os órgãos de soberania e com todos os partidos políticos”, disse Fradique de Menezes que é membro do Conselho de Estado.

O Presidente da Assembleia Nacional que presidiu o ato de investidura, ele próprio um dos candidatos às eleições presidenciais de 18 de julho último, disse ser imperativo saudar e louvar todo o povo são-tomense pela forma como comportou durante as duas voltas das eleições.

Felicitou o novo Presidente da República pelos seus insistentes discursos sobre a necessidade de garantir o diálogo na governação do país e deixou uma palavra de apreço ao Presidente cessante.

Veja Aqui a Primeira Parte Desta Notícia

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.