Centro Musical flutuante em Cabo Verde com nome do Imperador do Mali

O empresário maliano Samba Bathily acaba de investir num complexo cultural em Cabo Verde, precisamente na ilha de São Vicente.

O chefe do grupo ADS inaugurou neste sábado, 20 de agosto de 2021, o Mansa Floating Hub, um centro musical flutuante composto por 3 pavilhões de madeira separados, mas interligados.

O conjunto inclui um estúdio de gravação, bar e espaço para apresentações.

“Este Centro Flutuante é uma plataforma da “Nação Social África” dedicada a todos os criadores africanos e em todo o mundo para que se encontrem, criem e possam florescer. Seja na moda, na música, na cozinha e em qualquer arte em geral”, afirmou o CEO do grupo ADS.

Samba Bathily deseja com este projeto preservar a cultura africana.

“É um parceiro que responde à nossa visão de desenvolvimento com base na valorização do capital humano, localização geoestratégica, política, estabilidade social, institucional e boa governança”.

Foram estas Estas as palavras dirigidas à comunicação social por Ulisses Correia e Silva, Primeiro-Ministro de Cabo Verde, à margem da cerimónia de inauguração do Pólo Flutuante de Mansa.

O investimento do grupo ADS, “vários milhões de dólares”, estima o promotor, enquadra-se na ambição de posicionar Cabo Verde como um polo de atracão de arte, cultura e inovação em África.

O nome do complexo, hub da Mansa Music, explica Samba Bathily, refere-se ao imperador do Mali, Mansa Musa, o homem mais rico de todos os tempos, que viveu nos anos 1300.

“Mansa Musa era do Mali e o primeiro bilionário do mundo – um africano, um maliano. É uma forma de mostrar ao mundo que a África é rica, que a África é capaz, a África tem um talento inovador que resistiu ao teste do tempo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.