Como transformar uma ideia em dinheiro.

A pandemia do COVID-19 não trouxe só coisas más. Com o isolamento surgiram ideias novas e muitas pessoas transformaram essas ideias em dinheiro. Mercados Africanos, vai aqui falar, exatamente de algumas dessas ideias nascidas da pandemia ou que cresceram com ela.

 

Cookshop

A Cookshop, um serviço de entrega de comida liberiano localizado em Monróvia, é uma startup que apareceu para fortalecer a cadeia de valor alimentar, conectando produtores locais de alimentos com consumidores por meio de sua plataforma de comércio eletrônico B2C.

Na crise do COVID-19, a Cookshop aumentou significativamente a entrega de alimentos a pessoas e instituições públicas e até triplicou as suas receitas.

 

Bringo Fresh e eMsika

Bringo Fresh do Uganda e eMsika da Zâmbia, são outras duas startups africanas que administram plataformas de comércio eletrónico agrícola e de alimentos que tiveram uma procura enorme dos seus serviços desde o início da pandemia.

 

Store251

A startup etíope Store251 fornece produtos artesanais e eticamente produzidos por designers locais – novos e bem estabelecidos – e vende-os online para clientes internacionais.

Fundada em 2014, a Store251 é um mercado para produtos “Made in Ethiopia”, como bolsas, calçados e acessórios, combinando esses produtos exclusivos produzidos localmente com entrega rápida a clientes estrangeiros.

“Identificamos uma lacuna de comunicação entre os fornecedores de produtos e o mercado-alvo sobre informações, logística e marketing de produtos em geral”

Disse Maedot Assefa, fundador e gerente geral da Store251.

“O inicio foi difícil e desanimador “, disse Assefa. “Grande parte do desafio foi convencer os fornecedores a trabalhar connosco. O conceito de venda online e uso de canais de distribuição para impulsionar as vendas não era comum”.

“Era uma ideia completamente nova. mas depois que estabelecemos a confiança com os nossos fornecedores, ficou melhor”.

O Store251 agora está a ser vendido na América do Norte e em alguns países da Europa, mas a Assefa disse que ainda há um longo caminho a percorrer.

“Ainda temos muitos dos nossos planos para executar. Agora, queremos fortalecer a confiança dos compradores on-line em diferentes países para comprar produtos etíopes”, disse ela.

 

E Dey Shop

A startup nigeriana E Dey Shop lançou um aplicativo baseado no WhatsApp que ajuda os compradores a encontrar produtos, serviços ou instituições em qualquer lugar do país.

Por exemplo, um comprador pode fazer perguntas, como “computadores em Kaduna”, e o aplicativo responde com ofertas de mais de 200 comerciantes registados da E Dey Shop, juntamente com informações extraídas da web. Os compradores podem continuar a conversar com o comerciante, fazer um pedido ou visitar uma loja.

Fornecedores que usam a plataforma de comércio social da E Dey Shop para gerar leads e gerenciar seus produtos, clientes, loja on-line e registos de vendas por meio de aplicativos móveis e da web.

“A Nigéria está repleta de atividades empresariais, tanto online quanto offline. Estamos a ajudar os retalhistas facilitando a alcançar novos clientes e gerir os seus negócios”.

Disse Emeka Mba-Kalu, CEO da E Dey Shop.

 

O que achas destas ideias? Também tens uma ideia que gostarias de transformar numa startup? Sim? Então conta-nos a tua ideia, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Ruanda/start-ups: Programa de “Inovação Cidades Inteligentes”

Imagem: © 2018 Bringo Fresh
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.