Conheça Mayyan, o motor de busca voltado para África.

E se com cada pesquisa que fizéssemos, apoiássemos o desenvolvimento de África? Isso é o que o motor de busca Mayyan promete. Criada pelo empresário Moussa Touré, a plataforma pretende fazer de cada utilizador um participante no ressurgimento do continente.

O motor de pesquisa com foco em África, Mayyan, financia projetos por meio de pesquisas de utilizadores. Visa dar um impacto social a cada pesquisa, investindo 30% da receita gerada em organizações sem fins lucrativos que atuam no continente.

Baseado no Microsoft Bing, Mayyan funciona como qualquer outro motor de busca, exceto que a cada clique num anúncio gera receita para ser usada no apoio a projetos de desenvolvimento em África.

Moussa Touré, o promotor, é um empresário de origem senegalesa e maliana radicado em França, que criou o Mayyan em 2020, a fim de encontrar uma ferramenta para impactar facilmente o continente.

“Com 20 pesquisas e cliques em anúncios, podemos fornecer a um agricultor o fertilizante de que ele precisa para cultivar mais alimentos e ganhar mais dinheiro. Com 150.000 buscas, podemos construir um poço de água para mais de 200 pessoas ou fornecer eletricidade a uma escola”, disse ele.

Em África, o acesso a serviços básicos continua a ser um grande desafio para muitos países.

Por isso, Mayyan está-se a concentrar no desenvolvimento de três projetos específicos, em particular o acesso à água através de furos, a autossuficiência das populações africanas em alimentos, investindo na agricultura e na eletrificação de áreas rurais incluindo hospitais, escolas e residências .

Ao escolher Mayyan, cada utilizador  torna-se num ator do  ressurgimento do continente.

Ao contrário dos motores de busca como o Google, a plataforma garante que não vende os dados pessoais dos utilizadores a empresas terceiras.

Todas as pesquisas são criptografadas e o motor usa um software de análise de comportamento amigável à privacidade.

Até ao momento, Mayyan tem aproximadamente 80.000 utilizadores. Moussa Touré pretende atingir 500.000 pessoas em África até 2030.

No entanto, a expansão das tecnologias ligadas ao continente devem adaptar-se às realidades locais, o que pode representar um desafio para o motor de busca.

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.