COP26: Buhari – Há acordos a serem feitos, mas nenhum sem a concordância africana.

Muhammadu Buhari, o presidente da maior economia do continente e do país mais populoso, a Nigéria, instou os tomadores de decisão que levem em consideração as opiniões dos países africanos em todas as tomadas de decisão.

“Há um acordo a ser feito na COP26, mas nenhum sem a concordância das nações africanas. Os avisos climáticos que ouvimos, nós vivemo-los, mas ninguém tem o direito de negar o avanço do nosso continente”.

Buhari, exortou os investidores de energia dos EUA da Europa a suspender a moratória sobre os investimentos em combustíveis fósseis africanos, durante seu discurso na Cimeira do clima das Nações Unidas em Glasgow (Escócia), que abriu oficialmente no domingo, 31 de outubro 2021.

De acordo com o presidente Buhari, apesar da gravidade da mudança climática, o seu país ainda precisa do fundo de combustíveis fósseis para ter sucesso em alcançar a neutralidade de carbono.

O presidente nigeriano, numa intervenção intitulada “A crise climática não será resolvida causando uma crise de energia em África”, expressou oposição às soluções energéticas propostas no domingo, dizendo que elas podem alimentar a instabilidade.

“Precisamos de pensar com cuidado se a nossa intenção de acabar com o uso de combustíveis fósseis tão rapidamente é tão inteligente quanto parece. Não há uma única “bola verde” que possa ser implantada em África ou no mundo que trate das preocupações dos ambientalistas e, ao mesmo tempo, ofereça o poder de alimentar a esperança de mais riqueza, uma vida melhor e de maior progresso para os milhares de milhões de cidadãos adicionais do nosso futuro africano.».

Muhammadu Buhari sublinhou que a Nigéria está empenhada em eliminar a queima de gás ilegal até 2030 – um subproduto da indústria de petróleo – e usá-lo para a produção de eletricidade, mas lembrou que, “no entanto, não existem tais limites para o investimento em energia de gás natural no Ocidente, onde é visto como uma fonte de energia de transição”.

Recorde-se que na Cimeira do clima das Nações Unidas em Glasgow – adiada por um ano devido ao Covid-19 – e que terá a duração de duas semanas, os líderes terão que fornecer uma atualização sobre os compromissos que assumiram no acordo de Paris em 2015 e aumentar suas ambições.

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.