Costa do Marfim adota padrões internacionais anticorrupção

A Costa do Marfim adotou padrões anticorrupção inovadores e globalmente aceitos para permitir o funcionamento harmonioso dos setores público e privado, segundo noticias a que teve acesso Mercados Africanos.

Esses padrões foram apresentado nesta quinta-feira, 9 de setembro 2021, pelas autoridades marfinenses durante um seminário de validação do relatório de diagnóstico do fenómeno da corrupção e delitos semelhantes na Costa do Marfim, realizado em Abidjan.

Para o presidente da Alta Autoridade para a Boa Governação (HAGB), N’Golo Coulibaly, a estratégia nacional de combate à corrupção “está refletida num documento de referência que permitirá não só construir uma política geral de combate à corrupção, mas também políticas setoriais cuja implementação exigirá o forte envolvimento das partes interessadas”.

Ao recordar a surpresa geral verificada no país com a suspensão de altos funcionários de suas funções após auditorias realizadas nas estruturas que eles dirigiam, N’Golo Coulibaly explicou tratar-se do recomeço do combate à corrupção e não de uma ação pontual e isolada.

“Algumas pessoas foram rápidas em falar sobre uma operação de ‘mãos limpas’. Enquanto houver uma operação “mãos limpas”, o plano estratégico nacional de combate à corrupção que chega neste contexto, será mais uma ferramenta ao serviço dessa operação, com ações bem estruturadas”, acrescentou ele.

Este flagelo, admitiu ele, parece tomar uma proporção “significativa”, fazendo com que os recursos destinados a projetos em benefício da comunidade sejam desviados. O seminário visou fortalecer e tornar o sistema anticorrupção mais eficaz.

Por seu lado, o Ministro Epiphane Zoro Bi Ballo para a Promoção da Boa Governação, Capacitação e Luta contra a Corrupção, afirmou que “Nenhuma empresa estatal, instituição pública e instituição paraestatal será poupada pelo princípio da responsabilização”, garantiu o ministro responsável pela promoção da boa governação, capacitação e combate à corrupção, Epiphane Zoro Bi Ballo.

Zoro Bi Ballo revelou que existem várias formas de auditorias em curso, entre outras, auditorias de gestão financeira e de contabilidade que são auditorias clássicas, mas também auditorias com o objetivo de desenvolver nas entidades uma cultura de integridade.

“Nenhuma empresa estatal, nenhuma entidade administrativa será poupada por esta onda de auditorias iniciadas por iniciativa do Primeiro-Ministro e sob a alta autoridade do Presidente da República”, sublinhou o Ministro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.