Costa do Marfim investe 96 milhões de dólares na construção de Hospital Universitário

A Costa do Marfim quer melhorar o seu sistema de saúde. Há vários anos, o governo tem vindo a acelerar os projetos de construção e reabilitação de centros de saúde.

De acordo com a OMS, o país aumentou o seu orçamento de saúde em média de 16% ao ano entre 2012 e 2016.

Neste contexto o Estado da Costa do Marfim vai beneficiar de um empréstimo de 50 milhões de dólares para a construção de um Centro Hospitalar Universitário (CHU) no segundo maior município da capital económica, Abidjan, Abobo.

A assinatura do contrato de empréstimo entre a ministro do Planeamento e Desenvolvimento, Kaba Nialé, e o Banco Árabe de Desenvolvimento Económico para África (BADEA) ocorreu neste último fim de semana, 5 de setembro 2021, em Cartum, capital do Sudão, aonde está sediado o BADEA.

Além do BADEA, o projeto contará com o financeiro do Fundo Saudita de Desenvolvimento (FSD).

No total, o Centro Hospitalar Universitário custa mais de 96 milhões de dólares, financiados no valor de 23,62 milhões pelo estado da Costa do Marfim, enquanto o Fundo Saudita de Desenvolvimento deve injetar 22,72 milhões.

Através deste projeto de “construir e equipar um hospital integrado com todas as especialidades médicas”, a Costa do Marfim pretende melhorar o acesso à saúde para as populações e “aumentar a eficiência dos recursos humanos no setor”.

De 2011 a 2019, 271 unidades de saúde de primeiro nível foram construídas no país, 371 foram reabilitadas, 11 hospitais regionais e 45 hospitais gerais também foram restaurados.

A 19 de setembro de 2019, o ex-ministro da Saúde, Aka Aouélé, anunciou que as construções de seis novos hospitais regionais estavam em andamento.

Recorde-se que tal como Mercados Africanos tinha anunciado a 1 de setembro 2021, o BADEA financiou um projeto para a Guiné-Bissau que consiste na modernização das estradas da cidade de Bissau e arredores com um custo total de 48 milhões de dólares, para o qual o BADEA contribuiu com 90% do financiamento total do projeto.

Este projeto visa contribuir para a melhoria das condições de vida das populações e para facilitar a circulação rodoviária na capital Bissau e arredores.

No que se refere à República de Cabo Verde, o BADEA emprestou fundos para o desenvolvimento e valorização de três bacias hidrográficas nas ilhas de Santiago, Santo Antão e Boavista, por um custo total de 36 milhões de dólares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.