Costa do Marfim produziu 1 milhão de toneladas de Castanha Caju.

Na Costa do Marfim, o setor do caju está a crescer. Nos últimos anos, as colheitas têm batido recordes e consolida a posição do país no fornecimento global dessa matéria-prima.

A colheita desta campanha da castanha de caju atingiu um nível histórico em 2021. De acordo com Kobenan Kouassi Adjoumani, Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, a produção de castanhas atingiu cerca de 1 milhão de toneladas.

Este volume recorde é 18% superior ao resultado do ano anterior (848 mil toneladas). Com este desempenho, o país agora pesa quase metade dos 2,2 milhões de toneladas estimados da África Ocidental neste ano.

De forma mais geral, de acordo com o ministro marfinense, esta situação brilhante ao nível da produção não deve obscurecer os esforços que ainda são necessários fazer no segmento do processamento.

O país já converteu 136.000 toneladas de castanhas de caju nesta fase do ano, o que já é mais do que o total processado em 2020 (103.000 toneladas).

Para impulsionar a produção e processamento da castanha de caju o Estado tem vindo a conceder subsídios no valor de 16 mil milhões de francos CFA (28,4 milhões de dólares) para o setor. Com o surgimento da Covid-19, mais de nove mil milhões de francos CFA foram concedidos a industriais do setor para apoiar a transformação.

Recorde-se que o setor do caju emprega cerca de 400.000 produtores e representa a terceira fonte de divisas para o setor agrícola, atrás do cacau e da borracha natural.

Estes avanços enquadram-se também, numa estratégia definida em 2019 com o apoio da Sociedade de Financiamento Internacional (IFC), filial do Banco Mundial, na formação de processadores de castanhas de cajus e na rastreabilidade de produtos a fim de melhorar o acesso ao mercado nacional, mas sobretudo internacional para as PMEs no setor de processamento de cajus.

close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.