Crescem os fundos de apoio aos inovadores africanos.

Um novo Fundo de Inovação para o Desenvolvimento (FID) que foi criado pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) desde dezembro de 2020 é uma iniciativa que sai do “tradicional” para apoiar inovações que ajudem a reduzir a pobreza e as desigualdades no mundo.

Aberto e flexível, o FID financia qualquer solução inovadora que vise combater a pobreza e as desigualdades, tem um potencial de generalização que pode promover o desenvolvimento e provar ser mais eficaz, rápido ou económico do que as abordagens existentes.

A ambição do FID é apoiar o surgimento de soluções inovadoras para os problemas de desenvolvimento, contando com o rigor da avaliação e experimentação científica.

Por meio de subsídios seguindo modalidades flexíveis, o FID permite que equipas inovadoras e de pesquisa testem novas ideias, assumam riscos estratégicos, demonstrem o que funciona e implantem em grande escala as soluções que têm o impacto mais positivo e mais eficientes para reduzir a pobreza e as desigualdades.

Qualquer solução que, quando ampliada, tenha o potencial de impulsionar o desenvolvimento de uma maneira mais eficiente, rápida ou económica do que as abordagens existentes, será considerada.

Isso inclui, por exemplo, novas abordagens para melhorar o acesso a bens e serviços essenciais, inovações de processo ou gerenciais, melhorias nos serviços públicos que facilitam o acesso e aumentam os resultados, bem como novas tecnologias ou novas aplicações de tecnologias existentes.

Mas novas abordagens de “baixa tecnologia” projetadas para serem úteis, sustentáveis ​​e acessíveis e que podem de fato ter um enorme impacto nas vidas dos mais pobres também serão elegíveis.

Quaisquer que sejam as dimensões que o caracterizam, o FID prioriza qualquer inovação que aborde os desafios da pobreza e das desigualdades, com atenção especial às inovações que visam problemas particularmente agudos para as populações marginalizadas.

De maneira mais geral, o FID está aberto a inovações em educação, saúde, mudança climática e igualdade de género.

O FID oferece financiamento flexível por meio de 5 níveis de subsídios e avalia cada solicitação de acordo com três critérios principais: prova rigorosa de impacto, relação custo-benefício da inovação e potencial de escala e sustentabilidade.

Todos os tipos de estruturas, ativas em países qualificados de baixa e média renda, podem aplicar: instituições de pesquisa, governos, ONGs, empresas privadas, etc. O FID incentiva particularmente abordagens de parceria, em consórcio.

O financiamento é concedido em termos flexíveis.

Vários níveis de subsídio são estabelecidos e levam em consideração todas as fases de implementação da inovação, desde a preparação do projeto (até 50 mil euros), até a fase piloto (até 200 mil euros), durante a implementação (até 1,5 milhões de euros), até generalização e ampliação (até 4 milhões de euros).

O FID recebe propostas ao longo do ano.

As inscrições devem ser enviadas por meio do portal online FID.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.