Descobertos mais 3 campos de gás natural no Egito.

Depois de alcançar a autossuficiência em gás natural, o Egito estabeleceu como meta tornar-se um centro de comércio regional de produtos de gás natural.

Nesta quarta-feira, 27 de outubro 2021, o Ministério do Petróleo do Egito anunciou que a “gigante” italiana de energia Eni descobriu três campos de petróleo e gás natural no Deserto Ocidental.

Essas descobertas estão localizadas na concessão de desenvolvimento Meleiha, nos poços Yasmin W-1X, MWD-21 e SWM-4X.

Os testes de produção foram realizados e as descobertas serão conectadas à infraestrutura de produção existente. Embora as folhas de dados pós-perfuração não tenham sido divulgadas, o ministério diz que os poços Yasmin W-1X e MWD-21 foram perfurados no campo Aman adjacente ao campo Meleiha West. O poço SWM-4X foi perfurado em um perímetro localizado 35 km ao sul do campo Meleiha.

No Yasmin W-1X, os testes de produção mostraram uma taxa de fluxo de 2.000 barris de petróleo leve e 7 milhões de pés cúbicos de gás associado por dia. O MWD-21 produziu a uma taxa estável de 2.500 barris de petróleo leve por dia. Já o SWM-4X apresentou uma capacidade média de quase 1.500 barris por dia.

Vale a pena lembrar que, juntas, as descobertas concentram as reservas comprovadas de cerca de 50 milhões de barris de petróleo. A concessão Meleiha é o centro da maioria das descobertas de petróleo e gás feitas no Deserto Ocidental nos últimos três anos.

É nesta região que foi relatada a primeira descoberta de petróleo no ano de 2021 em África. A Eni é uma das principais produtoras dessa bacia petrolífera.

Recorde-se que tal como Mercados Africanos noticiou o Egito vai exportar energia para a Grécia.

Existem vários projetos em desenvolvimento para transportar energias renováveis ​​produzidas em África para a Europa. Um desses projetos envolve uma interconexão no fundo do Mediterrâneo para permitir uma troca de energia entre o Egito e a Grécia.

Ambos os países estão atualmente em negociações para construir uma conexão elétrica subaquática capaz de transportar 2 GW de eletricidade através do Mediterrâneo.

O objetivo é levar eletricidade renovável do Norte da África para o continente europeu usando a infraestrutura já existente ou a construir.

Muitos outros projetos deste tipo também estão em preparação. Assim, a Itália e a Tunísia planeiam estabelecer uma ligação de 600 MW sob o Canal da Sicília. Este projeto, denominado Elmed, proporcionará uma interconexão elétrica através do Mediterrâneo, ligando as redes elétricas dos dois países.

Paralelamente, a Argélia está a implementar um projeto de conexão com a Itália e a Espanha. Esta última prevê a instalação de um cabo submarino com destino a Marrocos, além dos dois cabos existentes, com uma capacidade combinada de 1,4 GW. Marrocos está também a desenvolver um projeto bilateral semelhante com Portugal.

Para além disso, a 8 de setembro 2021, o ministro egípcio do Petróleo, Tarek El-Molla, e os seus homólogos jordanianos e sírios chegaram a um acordo em Amã, capital da Jordânia, para fornecer gás natural do Egito ao Líbano.

Em detalhe, o gás será transportado pelo gasoduto árabe que sai da Península do Sinai, no Egito, e atravessa a Jordânia, Síria e Líbano para acionar as plantas a gás que atualmente não estão operacionais. O objetivo é permitir que o Líbano receba gás natural suficiente para gerar 450 megawatts de eletricidade.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.