Dia Mundial do Café: Criação do Fundo Café Africano

Josefa Sacko, comissária da União Africana (UA) no Departamento para Agricultura, Desenvolvimento Rural, Economia Azul e Ambiente Sustentável, apelou para a necessidade do melhoramento da competitividade do café em relação a outras atividades agrícolas, sublinhando a importância de continuar a sensibilizar os produtores quanto aos benefícios económicos do café.

Este apelo foi feito por ocasião do dia Mundial da Café.

A antiga secretária-geral da Organização Inter-africana do Café (OIAC), durante 13 anos, sugeriu, entre outras ações urgentes, a reformulação da estratégia nacional de produção e comercialização do café, tendo em conta os desafios atuais, em entrevista dada a Angop.

A especialista entende que o ponto de partida para a construção de uma verdadeira cadeia de valor do café africano, resiliente e sustentável, passa, essencialmente, pela “transformação do atual sistema de subsistência numa orientação comercial”.

Durante a entrevista, referiu-se à fraca produtividade e comercialização, bem como à reduzida atividade de transformação do café especificamente, em Angola, fatores que diz comprometem a sustentabilidade da cadeia de valor deste produto e a capacitação dos produtores.

Apelou os produtores no sentido de se concentrarem, sobretudo, nos mercados nacional e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), para ajudarem a estimular a procura e o consumo do “bago vermelho”.

Num outro trecho da sua entrevista, Josefa Sacko encorajou um trabalho contínuo, para o melhoramento do acesso ao mercado mundial do café.

Anunciou, a esse respeito, que as autoridades continentais estão engajadas na criação de um Fundo do Café Africano (FCA), de carácter especial, para fazer face aos desafios da cadeia de valor do produto em África e impulsionar o crescimento da produção.

Conforme a especialista, este fundo será controlado pelo Banco Africano de Exportação e Importação “Afreximbank”, instituição multilateral de financiamento do comércio pan-africano, criada em 1993, sob os auspícios do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Anteviu que o fundo irá ajudar a reforçar a competitividade e sustentabilidade dos sistemas de produção e comercialização do café africano, na medida em que poderá providenciar mais financiamentos para se definir o café como uma fonte chave de subsistência dos produtores pobres.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.