Conforme noticias de periódicos ingleses, o governo da Dinamarca decidiu suspender o uso da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 como medida preventiva, devido a temores relacionados com a formação de coágulos sanguíneos nos vacinados – informou a sua Agência Nacional de Saúde, ontem, quinta-feira (11/03).

A suspensão dá-se, “depois dos informes de casos graves de formação de coágulos de sangue em pessoas que foram vacinadas com a vacina contra covid-19 da AstraZeneca”, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, “por enquanto, não se pode concluir que tenha uma relação entre a vacina e os coágulos de sangue”, segundo jornais ingleses.

“É importante ressaltar que não desistimos da vacina da AstraZeneca, mas estamos a fazer uma pausa no seu uso”, afirmou o diretor da agência dinamarquesa, Søren Brostrøm, num comunicado.

A vacina seria suspensa por 14 dias, disse a agência de saúde. Não deu detalhes do paciente dinamarquês com coágulo sanguíneo.

Na segunda-feira (08/03), a Áustria informou que parou de administrar um lote de imunizantes produzidos pelo laboratório anglo-sueco. O anúncio deu-se após a morte de uma enfermeira de 49 anos que sucumbiu a “graves distúrbios de sangramento”, dias depois ser vacinada.

Outros quatro países europeus – Estónia, Lituânia, Letónia e Luxemburgo – suspenderam imediatamente a vacinação com doses desse lote, que foi entregue a 17 países e incluía um milhão de vacinas.

No entanto e segundo as mesmas fontes, na quarta feira (10/03), uma investigação preliminar da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) destacou que não havia relação entre a vacina da AstraZeneca e a morte na Áustria.

A AstraZeneca disse as vacinas estão sujeitas a controles de qualidade estritos e rigorosos e que “não houve eventos adversos graves confirmados associados à vacina” e acrescentou que estava em contato com as autoridades austríacas e que apoiaria totalmente a investigação.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) disse na quarta-feira que não havia evidências até agora ligando a AstraZeneca aos dois casos na Áustria e sublinhou que o número de eventos tromboembólicos – formação de coágulos sanguíneos – em pessoas que receberam a vacina AstraZeneca não é maior do que o observado na população em geral.

As ações da AstraZeneca no mercado de Londres caíram 2,4% na manhã de ontem, quinta-feira (11/03).

Um porta-voz da AstraZeneca disse que a empresa estava ciente da declaração feita pela Autoridade de Saúde Dinamarquesa de que atualmente está a investigar potenciais efeitos adversos relacionados à vacina.

“A segurança do paciente é a maior prioridade para a AstraZeneca. Os reguladores têm eficácia e padrões de segurança claros e rigorosos para a aprovação de qualquer novo medicamento, e isso inclui a vacina COVID-19 AstraZeneca, disse a AstraZeneca numa declaração ao CNBC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.