Djibuti importa mais energia da Etiópia.

A transmissão de energia da Etiópia para o Djibuti teve um novo financiamento de 55 milhões de dólares do Banco Mundial, que servirá para aumentar a capacidade do fornecimento de energia a Djibuti através da criação de uma segunda linha de transmissão de eletricidade a partir da Etiópia.

Djibuti faz face a uma procura cada vez maior de eletricidade e com uma produção nacional que luta para satisfazer essa procura uma das soluções está na vizinha Etiópia que produz eletricidade e já exporta para Djibuti.

Este financiamento vai permitir ligar a subestação de alta tensão de Galafi, na fronteira com a Etiópia, à subestação de Nagad, perto da capital Djibuti e deve permitir que o país importe até 220 MW da Etiópia.

Para Boubacar-Sid Barry, Representante Residente do Banco Mundial em Djibuti, “O aumento das interconexões elétricas é particularmente importante para estimular o crescimento inclusivo, o emprego e a transição para uma economia verde. Ao aumentar o acesso a energias mais baratas e limpas, o novo projeto contribui para melhorar a vida das pessoas e mitigar os efeitos das mudanças climáticas”.

Desde 2011, Djibuti importa 80% de sua eletricidade através de uma linha de interconexão da Etiópia que pode fornecer 95 MW, enquanto o restante depende de duas centrais termoelétricas.

O governo de Djibuti pretende atingir 100% de energia renovável produzida no país como parte do programa Visão 2035.

Além disso, muitas empresas estão a considerar ou já investiram em projetos de energia renovável como, entre outros, o Grand Bara (23 MW), o parque eólico na região de Ghoubet (60 MW) ou a central de biomassa (50 MW) perto de Damerjog.

 

O que achas desta cooperação intra-africana? O Djibuti em vez de importar energia, não a deveria produzir? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © 2012 Michael Turner | Shutterstock
close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.