O vice-primeiro-ministro de Cabo Verde, Olavo Correia, que tutela o Ministério das Finanças, acredita que é possível duplicar a riqueza produzida no país até 2030 e que os próximos dois anos serão decisivos para implementar a Agenda de Recuperação Económica e Social do ‘pós-covid-19’.

“Estamos confiantes na melhoria do cenário e na recuperação e aceleração do crescimento económico, ancorado na diversificação da economia e no alcance de um crescimento económico não inferior a 5% ao ano entre 2021 e 2025 e não inferior a 7% ao ano entre 2026 e 2030, e por consequência, duplicação do PIB per capita até 2030”, afirmou Olavo Correia.  O Governo de Cabo Verde estima um PIB – toda a riqueza produzida no país – acima de 196 mil milhões de escudos (quase 1.770 milhões de euros) em 2021, em que mais de um quarto continua a ser garantido diretamente pelo turismo, ainda a recuperar das quebras da pandemia. Tecnologia, turismo e economia azul centram as atenções para os próximos anos em Cabo Verde.

O governante falava após a conclusão, na terça-feira, da segunda missão em 2020 de avaliação do Grupo de Apoio Orçamental – Banco Mundial, Banco Africano de Desenvolvimento, União Europeia, Luxemburgo e Portugal -, que admitiu ter decorrido “num contexto complexo”, face aos desafios impostos pela pandemia da covid-19: “Em nome dos cabo-verdianos, gostaria de agradecer o apoio imediato, oportuno e sem qualquer tipo de burocracia, que todos os parceiros ao nível do GAO têm prestado ao nosso país neste momento de maior aflição”.

Explicando o contexto que o país vive, Olavo Correia recordou que o executivo “está igualmente a implementar a Agenda de Recuperação Económica e Social destinada também à retoma da atividade empresarial” após uma recessão económica histórica esperada para este ano, de 11% do Produto Interno Bruto (PIB). “O país tem grandes desafios pela frente nos próximos dois a três anos, mas estamos convictos que, com o engajamento de todos os cabo-verdianos e com o suporte dos nossos parceiros, seremos capazes de ultrapassar esta fase menos boa”, afirmou ainda.

Segundo Olavo Correia, Cabo Verde apresentava em finais de 2019 um quadro “reconhecidamente positivo”, desde logo com uma taxa de crescimento “à volta dos 6% do PIB”, uma “boa trajetória de redução da dívida pública” em função da riqueza produzida, que passou de 130% do PIB para cerca 120%, além da descida da taxa de desemprego “a muito bom ritmo”, a “caminhar para um dígito”.

“Os desafios provocados por esta crise são enormes, mas com o suporte dos parceiros, o Governo tem dado respostas muito positivas nos mais diversos campos, nomeadamente sanitários, económicos e sociais”, assumiu.

Entre essas ações, Olavo Correia destacou o investimento de 2.663 milhões de escudos (24 milhões de euros) no reforço do Sistema Nacional de Saúde durante o ano de 2020, desde logo para minimizar as consequências da crise económica e sanitária provocada pela pandemia de covid-19.

“Investiu-se igualmente na educação com medidas como o ensino à distância, a proteção do rendimento das famílias, como o Rendimento Social de Inclusão, o Rendimento Solidário, a assistência alimentar imediata às famílias, a proteção social de idosos dos Centros de Dia e ainda apoio aos estudantes deslocados”, exemplificou.

Paralelamente, Olavo Correia aponta que o Governo adotou “com sentido de urgência” medidas para a aumentar a liquidez das empresas, nomeadamente através dos mais de 500 pedidos de créditos para linhas com aval do Estado, totalizando o valor global de cerca 3.550 milhões de escudos (32 milhões de euros). Desses apoios, 56 são a grandes empresas, em cerca de 1.600 milhões de escudos (14,5 milhões de euros), 147 médias empresas em cerca de 800 milhões de escudos (7,2 milhões de euros), 183 a pequenas empresas, com 930 milhões de escudos (8,3 milhões de euros), e 120 para microempresas, com 135 milhões de escudos (1,2 milhões de euros).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.