Boas notícias.
As autoridades sanitárias congolesas e a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciaram nesta segunda-feira, (03/05) o fim da décima segunda epidemia de ébola, que afetou a região de Butembo, no leste do país.

“O alto risco de ressurgimento de epidemias continua permanente e deve servir de sinalização para que os sistemas de vigilância epidemiológica sejam fortalecidos. Assim, recomendamos que as autoridades de saúde locais continuem a manter mecanismos de alerta e vigilância baseados na comunidade, a fim de permanecer vigilantes durante todo o período de epidemia pós-doença do vírus Ébola ”, disse o Ministro da Saúde. Jacques Mbungani, durante uma conferência de imprensa em Kinshasa.

Trabalho saudado pela OMS

Após a declaração desta epidemia nesta área, as autoridades sanitárias e a Organização Mundial da Saúde mobilizaram os seus especialistas para conter esta décima segunda epidemia.

“Devemos saudar o pessoal de saúde local e as autoridades nacionais pela resposta rápida, tenacidade, experiência e trabalho árduo que tornou possível controlar este surto”, diz uma declaração assinada pela Drª. Matshidiso Moeti, Diretora Regional da OMS para África.

Nessa declaração, a agência da ONU para a saúde mundial, exorta a comunidade a estar vigilante.

“Embora a epidemia tenha passado, devemos permanecer alertas para um possível ressurgimento ao mesmo tempo em que apelamos à crescente perícia em resposta de emergência para enfrentar as outras ameaças à saúde que o país enfrenta”.

Declarada em fevereiro de 2021 na cidade de Butembo, no leste do país, essa décima segunda epidemia causou a morte de seis pessoas entre os onze casos confirmados e seis curados.

Esta décima segunda epidemia sucedeu à décima primeira, declarada em junho de 2020, na província do Equador, e cujo número de mortos foi de 55 entre as 130 contaminações, declaradas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Biomédicas (INRB).

Pela redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome