O governo egípcio estuda a possibilidade de exportar parte de sua eletricidade para o Iraque.

Esse projeto, se aprovado, exigiria a construção de novas linhas de transmissão para impulsionar a rede do Iraque através da Jordânia.

O Egito já exporta parte de sua eletricidade para os países do Golfo.

Graças aos seus megaprojetos, o Egito é um dos principais países produtores de energia renovável na sub-região do Norte da África.

O país dos faraós deve isso principalmente ao seu imenso potencial eólico e solar.

Mas o Cairo agora quer acelerar a exportação de sua eletricidade, para tornar as suas infraestruturas lucrativas.

Nesse sentido Mohammed Shaker, o ministro egípcio de Eletricidade e Energia Renovável, anunciou o desejo do seu governo de estabelecer uma conexão elétrica com o Iraque.

Este país do Oriente Médio está separado do Egito por 1.427 quilómetros, mas desde 1999, o Egito tem uma conexão elétrica com a Jordânia, com a qual compartilha uma entrada no Golfo de Aqaba.

Como país vizinho do Iraque, a Jordânia pode transportar eletricidade para Bagdade.

Considerando esta possibilidade real, o Egito já lançou estudos para esse projeto de interconexão elétrica.

Para ter sucesso, o Egito terá primeiro de aumentar a capacidade da linha de eletricidade que o liga à Jordânia.

Com potência de 400 kV, esse cabo submarino de 13 km cruza o Golfo de Aqaba, com capacidade de troca de 550 MW.

O aumento da potência da linha deverá permitir a transferência de parte da eletricidade da rede elétrica da Jordânia para a do vizinho iraquiano.

Se o Egito quer-se tornar um ator principal nas trocas de eletricidade entre a África do Norte e o Médio Oriente, é porque a sua capacidade instalada aumentou significativamente nos últimos anos com a exploração de seu potencial solar e eólico.

O país do Norte da África tem uma capacidade solar fotovoltaica instalada de 1.700 MWp e 1.465 MW de energia eólica.

Mas essa capacidade deve aumentar ainda mais nos próximos anos graças aos projetos em andamento no Alto Egito para energia solar e no Golfo de Suez para energia eólica.

Para rentabilizar a produção, parte da eletricidade será exportada para Sudão, Líbia, Jordânia e em breve Iraque.

O Cairo está até a considerar estabelecer conexões elétricas com Chipre e Grécia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.