A operadora de telefonia TIM, subsidiária da operadora Telecom Itália no Brasil, lançou uma aplicação para telemóvel que visa combater o racismo no uso da linguagem orientando as pessoas sobre palavras vinculadas a termos racistas enquanto elas escrevem mensagens e publicações nas redes sociais.

A aplicação funciona como um teclado que dispara um alerta destacando a palavra que tem conotação racista em outra cor, explica seu significado para depois sugerir uma nova opção como uma espécie de corretor ortográfico que avisa o usuário.

Assim, se a pessoa que tem a aplicação instalada no seu telemóvel digitar a palavra “denegrir” aparece a explicação “tornar-se negro” e como sugestão surge a palavra “difamar”.

 A aplicação chamada Teclado Consciente TIM é gratuito e estará disponível para iOS e Android e não é necessário ser cliente da operadora para usá-lo.

O lançamento está previsto para 20 de novembro, data em que se comemora o Dia da Consciência negra no Brasil.

Além de desenvolver uma aplicação para combater o racismo no uso da linguagem, a TIM também anunciou que seu Programa de Estágio no Brasil terá como meta de preencher 50% das 300 vagas com pessoas negras.

Mais de um terço dos funcionários da TIM são afrodescendentes e o objetivo da companhia é ampliar essa representatividade, inclusive em cargos de liderança – que atualmente é de 13% em posições de gerência e diretoria.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que mais da metade da população do Brasil (56%) se autodeclara negra.

No entanto, episódios de racismo são comuns e, segundo o relatório “Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil” do IBGE, que considerou dados de 2018, pessoas negras eram maioria na força de trabalho do país (57,7 milhões), mas ocupam menos de 30% dos cargos de liderança no mercado laboral brasileiro.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.