A confiança dos empresários cabo-verdianos no crescimento económico, medida pelo Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde, atingiu em setembro o nível mais baixo em quatro anos e três meses, num cenário de incerteza devido à pandemia de covid-19 e sem turismo desde março. Ainda assim, há empresas que apostam e investem, tirando partido das oportunidades do mercado.

Se no setor do turismo o abalo foi maior, outros setores aguentarão melhor os estragos causados pela pandemia da covid-19, como é o caso da empresa White Desinfestação. Criada há seis anos, a empresa tornou-se numa referência em Cabo Verde, para acabar com vários insetos perturbadores. E a pandemia abriu uma oportunidade para apostar em novas áreas, nomeadamente a higiene. Se em março tinha cinco colaboradores, aumentou para sete, todos na cidade da Praia, e mais três em prestação de serviço em outras ilhas.

Conforme o administrador da empresa, Kevin White, 29 anos, houve essa necessidade porque a demanda aumentou. “Enquanto várias empresas desinvestiram, nós fizemos o contrário, investimos. Não foi muito, por causa da doença, mas adotamos um novo sistema”. Kevin White disse que com a pandemia a empresa que dirige apostou nos serviços de desinfeção e higienização.

“Por isso tivemos necessidade de aumentar o pessoal”, disse o empresário, que já constatou que as pessoas só procuram serviços de desinfestação quando os espaços, sobretudo de restauração, já estão inundados de baratas e outros insetos. Além disso, salientou que muitos preferem fazer o trabalho pessoalmente ou contratar mão-de-obra mais barata, mas menos qualificado. “Fazem-no mais para obter um certificado, para entregar à Inspeção Geral das Atividades Económicas (IAGE), mais do que uma necessidade de dar ao cliente um lugar requintado, higienizado”.

Em outubro, a IGAE encerrou vários estabelecimentos comerciais nas ilhas de São Vicente e Fogo, com graves problemas de higiene, e constatou que o “encerramento tem abrindo oportunidades de negócios para as empresas de limpeza, higienização, desinfestação e desinfeção, que vem contribuindo grandemente para a proteção da saúde pública”.

Para o administrador da White Desinfestação, este ainda é um mercado a ser explorado, mas apenas no país, já que descarta a possibilidade de exportação deste serviço. “Lá fora existem empresas tão bem qualificadas ou mais”, sustentou o jovem empresário, com várias formações, uma na área da desinfestação, e que em 2018 foi nomeado como Jovem Empreendedor do ano pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS).

Para o futuro os objetivos da empresa já estão bem traçados e são ambiciosos: a White Desinfestação quer dominar o mercado em Cabo Verde dentro de três anos.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.