Entre os vários países africanos que em 2020 apesar da pandemia, investiram no futuro, ou seja em energias renováveis destacamos os seguintes:

A Etiópia investiu mais 131,4 milhões de dólares no projeto eólico de Assela aos quais se juntam os 201 milhões que já tinham sido investidos em 2018. Os fundos foram emprestados pelo Danske Bank, e o Banco Africano de Desenvolvimento contribuiu com 1,8 milhões de dólares para financiar o estudos de impacto o ambiental e social do projeto, localizado a cerca de 150 km de Addis Abeba, na orla do Vale do Rift.

O parque eólico terá 29 turbinas, cada uma com capacidade para produzir 3,45MW, contribuindo assim com 100MW para a rede elétrica da Etiópia.

Na Tanzânia, o primeiro parque eólico foi concluído. O projeto de 2,4 MW consiste em três turbinas que fornecerão energia adicional para 6.500 residências e negócios, uma vez operacional.

Na Tunísia, o projeto do parque eólico Sidi Mansour, localizado na região norte, arrancou com um investimento de 40 milhões de dólares americanos.

Após a conclusão, o projeto do parque eólico Sidi Mansour, que será o primeiro parque eólico privado do país, terá capacidade para gerar aproximadamente 30 MW de eletricidade que será vendida para a Companhia de Gás e Energia da Tunísia e contribuir para que se alcance o objetivo de aumentar a participação de energias renováveis ​​na produção de eletricidade de 3% para 30% até 2030.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.