O Campeonato Europeu de Futebol das Nações Unidas (Euro) começou nesta sexta-feira, 11 de junho de 2021 ̶  com um ano de atraso devido á pandemia ̶  com o confronto Turquia x Itália.

Mas o que dominou este fim de semana de futebol foi o que poderia ter sido o drama e que felizmente foi um imenso susto, a que assistimos em direto do Estádio Parken em Copenhague no sábado, 12 de junho 2021.

No jogo contra a Finlândia, o meio-campista dinamarquês Christian Eriksen que estava a controlar uma bola, de repente cambaleou e caiu no chão, inanimado, sob o olhar atônito dos seus companheiros, que imediatamente correram em seu socorro.

Durante cerca de 20 minutos todos pensamos o pior, sobretudo ao vermos as imagens iniciais de Eriksen de olhos abertos, mas inanimado no solo e dos esforços desesperados dos técnicos de saúde que tentavam reanimá-lo com massagens cardíacas, num combate de vida ou morte.

Momentos que se tornaram ainda mais dramáticos quando a muito discreta Sabrina Kvist Jensen  ̶  praticamente não usa redes sociais  ̶   companheira do jogador e mãe do seu filho de três anos e da filha de seis meses, entrou no relvado em lágrimas de desespero para se colocar ao seu lado e imediatamente acarinhada e confortada pelo guarda-redes Kasper Schmeichel e Kjaer, o capitão da equipa dinamarquesa.

Soube-se ontem que se não tivesse havido desfibrilador, provavelmente ter-se-ia perdido Eriksen, felizmente não foi assim e ele saiu do estádio já consciente.

O médico da seleção dinamarquesa, Morten Boesen, veio a público neste domingo, 13 de junho 2021, para dar atualizações sobre o estado de Christian Eriksen e confirmou que ele sofreu uma parada cardíaca e, por isso, precisou de uma manobra de ressuscitação.

Estas imagens lembraram-nos as do camaronês Marc Vivien Foé, que morreu no campo de futebol.

Certamente que os africanos que viram estas imagens de Eriksen não deixaram de pensar e rever com horror a queda e morte no terreno de Marc Vivien Foe, internacional camaronês, então com 28 anos de idade que perdeu a vida após um ataque cardíaco durante o jogo da sua seleção contra a Colômbia, na Taça das Confederações, em 2003.

Na altura o mundo inteiro comoveu-se, consternado e perplexo com uma morte tão violenta. E neste sábado,12 de junho 2021 as memórias voltaram à África, quando o meio-campista dinamarquês Christian Eriksen desmaiou no meio do Estádio Parken, em Copenhague. O dinamarquês felizmente teve mais sorte do que o camaronês, já que sobreviveu e Marc Vivien Foe deixou-nos com tanto ainda para oferecer.

Estes acidentes que se multiplicam devem levar a FIFA, a UEFA e as confederações regionais a reforçarem as equipas com todos os meios necessários para salvar vidas, incluindo desfibriladores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.