A Mindel Floating Music de Cabo Verde, a quarta instalação flutuante do género em todo o mundo, que funciona como estúdio de gravação, palco para música, entretenimento e promoção do intercâmbio entre artistas locais e internacionais, vai ser inaugurado na baía da cidade do Mindelo em janeiro.

Em construção há mais de um ano na ilha cabo-verdiana de São Vicente, trata-se de um projeto emblemático da Africa Development Solutions (ADS), do investidor maliano Samba Bathily.

“Nós pensamos que com este investimento, estamos a dar mais um passo importante para revitalização da economia da ilha, que precisa de investimentos privados de referência que criem atividade económica, oportunidades de emprego e eventos associados”, destacou o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, que este mês visitou o empreendimento, em fase final de construção.

A estrutura, flutuante e desenvolvida a partir de um trabalho de investigação do arquiteto Kunlé Adeyemi, vai abranger parte da orla marítima da Avenida Marginal do Mindelo e inclui a construção de um estúdio de gravação tecnologicamente avançado, uma escola de música e uma zona de diversão aberta ao público.

“Em termos de arquitetura é uma obra que está a merecer uma atenção internacional para se candidatar a prémios mundiais. A arquitetura é o quarto do tipo a nível mundial, o que faz com que Mindelo também entra no circuito mundial em termos de notoriedade de arquiteturas de referência”, explicou o primeiro-ministro, apontando a conclusão da estrutura em janeiro.

O Mindel Floating Music será composto por uma praça frontal, em terra, um pontão flutuante e uma praça central flutuante, fazendo a ligação com três naves, a maior das quais uma sala de espetáculos. Há ainda uma nave para um estúdio de música e outra que vai funcionar como um pequeno bar de apoio ao espaço.

“Mais um bom investimento para São Vicente, do investidor africano, Samba Bathily, que acreditou e quis fazer este empreendimento de referência, cujo conceito vai dinamizar o turismo cultural em São Vicente, trazendo ao estúdio de gravação grandes nomes da música mundial”, afirmou Ulisses Correia e Silva.

A estrutura, amovível, será montada em três meses e ficará localizada a 50 metros entre a praia e a baía. Será complementar ao futuro terminal de cruzeiros de São Vicente, que deverá receber anualmente 200.000 turistas.

Segundo informação do Governo cabo-verdiano, o grupo ADS intervém em domínios estratégicos para o desenvolvimento dos países do continente africano, nomeadamente financiamento de projetos, energias renováveis e acesso à água, novas tecnologias, média e telecomunicações, infraestruturas, hotelaria e imobiliário, automóvel e logística, entre outras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.