O Congresso dos Estados Unidos ratificou a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de Novembro, na última etapa antes de ser empossado em 20 de Janeiro.

Agora é irrevogável. Joe Biden é definitivamente o 46º Presidente dos Estados Unidos da América (EUA). Ao final de um dia louco no Capitólio invadido por milhares de adeptos pró Trump  e a interrupção da sessão de certificação – que causou a morte de 4 pessoas e a prisão de 52 agressores nas fileiras dos manifestantes – o Congresso americano finalmente validou os resultados endossados ​​pelo colégio eleitoral na quinta-feira (07/01).

Ironia do destino foi o vice-Presidente republicano, Mike Pence, quem validou o voto de 306 grandes eleitores a favor do democrata contra 232 para o Presidente cessante, Donald Trump, no final de uma sessão conjunta das duas câmaras que ratificou na sua esmagadora maioria a vitória de Biden e Harris na eleição presidencial americana de 3 de novembro de 2020.

O ex-vice-presidente de Barack Obama torna-se, assim, legalmente o novo presidente dos Estados Unidos da América, e aguarda o investimento a 20 de janeiro de 2021.

Este passo, que devia ter sido uma simples formalidade no processo eleitoral, tornou-se numa revolta, “quase uma sedição”, nas palavras de Joe Biden, quando apoiantes de Trump invadiram o Capitólio, interrompendo os debates de várias objeções aos resultados das eleições nos estados do Arizona, Pensilvânia, Geórgia, Michigan e Nevada, apresentadas pelos legisladores republicanos e todas rejeitadas.

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que os violentos protestos ocorridos no Capitólio foram “um ataque sem precedentes à democracia” do país e instou Donald Trump a pôr fim à violência.

Entretanto, a presidente da Câmara de Washington, Muriel Bowser, prolongou o estado de emergência pública na capital por mais 15 dias, até depois da tomada de posse do Presidente eleito, Joe Biden, agendada para 20 de janeiro.

Por seu lado a presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, anunciou hoje que o Congresso abrirá um processo de ‘impeachment’ caso o vice-Presidente Mike Pence recuse recorrer à 25.ª Emenda para remoção do Presidente cessante, Donald Trump, do cargo.

Pelosi juntou-se hoje aos que pedem à Administração para invocar a 25.ª Emenda da Constituição norte-americana para forçar Donald Trump a sair da Presidência, um dia depois de apoiantes deste terem invadido o Capitólio.

A 25.ª Emenda permite que o vice-Presidente e a maioria da Administração declarem o Presidente inapto para o cargo, tornando-se o vice-Presidente no Presidente interino.

“O Presidente dos Estados Unidos incitou uma insurreição armada contra o país. Qualquer dia pode ser um episódio de terror para o país”, afirmou Pelosi no Capitólio.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.