FirstWave, de startup a grupo internacional, em 5 anos

A procura africana por pescado é alta e uma grande proporção desses alimentos ainda é importada.

Para o Grupo FirstWave, sediado na África do Sul, isso representou uma oportunidade de se posicionar no continente com um modelo económico focado na produção local.

O Grupo FirstWave, um dos maiores produtores de piscicultura da África Subsaariana, construiu e opera um grupo de empresas que produzem, distribuem e vendem alimentos para peixes e animais aquáticos.

As suas empresas incluem Yalelo Zambia, Yalelo Uganda e Aller Aqua Zambia, e o grupo vende mais de 35 milhões de peixes anualmente através de cerca de 50 distribuidores internacionais.

O Grupo FirstWave foi fundado em 2015, com a missão de oferecer um produto local de forma a limitar gradualmente a importação de pescado.

Mais de 90% dos insumos usados ​​pela empresa são de origem local.

A sua estratégia verticalmente integrada abrange uma gama de atividades relacionadas, o que lhe dá uma presença enorme neste setor.

“Nos últimos quatro ou cinco anos, começamos por formar um grupo e, em seguida, lançar as bases para uma indústria de aquicultura próspera, da alimentação de peixes à agricultura. Embora tenhamos começado com a produção, acabamos rio acima, na alimentação de peixes”, explicou Tembwe Mutungu, cofundador da FirstWave.

A África tem cerca de 2.000 locais de água doce, mas a piscicultura e aquacultura cultura representa apenas uma pequena fração da produção global.

Os principais produtores comerciais da África representam apenas 0,4% do abastecimento total do continente, enquanto o peixe é a fonte preferencial de proteína dos africanos (35% da proteína animal consumida).

Apesar da forte procura, uma percentagem significativa do pescado consumido no continente ainda é importada. Esse déficit traduz-se em restrições de abastecimento dos rios e lagos locais, por um lado, bem como no crescimento populacional e crescente urbanização, por outro.

O grupo também recorda que a produção de peixes é mais acessível e tem menos impacto no meio ambiente do que a criação de gado, o Grupo FirstWave acredita que garantiria a segurança alimentar no continente.

Em 5 anos de existência, o Grupo FirstWave conquistou os mercados da África Austral e Oriental e está presente na Zâmbia, Uganda, e também abastece o Maláui, África do Sul, República Democrática do Congo, Quénia e Tanzânia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.