Fitch Ratings eleva a nota do Gabão de “CCC” para “B-

Boas notícias para o Gabão.

A Fitch Ratings acaba de elevar a classificação do país de “CCC” para “B-” com perspetiva estável, para refletir uma recente redução da pressão na obtenção de liquidez devido ao aumento dos preços do petróleo e um novo programa do FMI.

Para a Fitch, esta revisão em alta também reflete a sua expectativa de que as receitas fiscais subjacentes do Gabão também melhorem devido a uma “recuperação nas receitas não petrolíferas, uma redução nos gastos relacionados à pandemia e uma restrição de outras despesas correntes”.

A nova classificação também leva em consideração o elevado PIB per capita do Gabão, em comparação com seus pares, mas também as incertezas de longo prazo em relação à capacidade de produção de petróleo do país, dificuldades recorrentes na obtenção de financiamento externo e má gestão das finanças públicas.

A Fitch espera que o déficit orçamental do Gabão atinja 3,3% do PIB em 2021, devido ao impacto que a menor produção de petróleo terá sobre as receitas fiscais.

“Com a plena recuperação da atividade económica e a redução dos gastos relacionados à Covid 19, esperamos que o déficit orçamental diminua para 1,4% em 2022 e 0,7% em 2023, abaixo de nossa projeção para a classificação “B” de 7,4%”, sublinhou a Fitch.

Além disso, a agência de notação prevê uma contração da produção de petróleo de 14% e uma média de 185 mil barris por dia em 2021 (em relação às cotas da Opep), após uma retração modesta de 1,2% em 2020.

A produção deve aumentar gradualmente para 210 mil barris por dia em 2023, mas o preço previsto do petróleo Brent para 53 dólares /barril em 2023 resultará na redução contínua das receitas do petróleo e a incerteza sobre o potencial do petróleo do país com poços antigos e reservas localizadas em alto mar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.