Magdalena Andersson, ministra das Finanças da Suécia, vai ser presidente do Comité Monetário e Financeiro (IMFC, na sigla inglesa) durante três anos.

Este órgão do FMI é constituído por 24 elementos, entre ministros das finanças de vários países e governadores de bancos centrais e será a primeira mulher a presidir a este órgão.

A governante sueca vai suceder em janeiro ao governador do Banco Central da África do Sul, Lesetja Kganyago, que preside esta comissão desde 18 de janeiro de 2018.

Há duas reuniões do IMFC por ano, normalmente em abril e outubro que examinam as questões relacionadas com a economia global e aconselha o FMI sobre o trabalho que está a desenvolver.

No final de cada encontro o Comité Monetário e Financeiro emite um comunicado com as perspetivas do rumo que o FMI seguiu e com orientações para os seis meses seguintes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.